Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Você tem dívidas? Veja como se relacionar bem com elas

A- A+

Ter dívidas nem sempre é de todo ruim – especialmente quando elas têm origem em um planejamento, como na aquisição de bens de alto valor. Mas o chamado endividamento saudável não elimina a necessidade de saber como se relacionar com seus débitos. Afinal, para manter uma vida financeira tranquila, não se pode perder o controle sobre as finanças.

Sobretudo em situações nas quais se troca uma dívida pela outra, cobrindo uma mais cara com outra do tamanho do bolso, a atenção deve ser redobrada. Um caso clássico é fazer um empréstimo com taxas menores para quitar outra conta de tarifas maiores. Nesse caso, pode valer a pena, mas é preciso disciplina para arcar com o novo compromisso.

Mulher sabe como se relacionar bem com as finanças

Cuidar bem das finanças é essencial para manter as contas em dia e realizar sonhos. Foto: iStock, Getty Images

Como se relacionar bem com as dívidas

Se você é um devedor e enfrenta problemas por isso, está na hora de aprender como se relacionar melhor com suas dívidas. Siga os quatro passos a seguir e assume o controle das suas finanças.

1. Planeje

Eleja prioridades. Se já tem uma dívida, ela deve estar na lista. Depois de definir o que é mais importante na sua vida financeira, fica mais fácil manter o foco e a disciplina nas contas, evitando dissabores desnecessários. Se o objetivo é pagar um financiamento, por exemplo, essa é uma boa razão para cortar outros gastos.

2. Registre

A boa e velha planilha financeira é indispensável para lidar com os números. Portanto, anote todos os seus ganhos e gastos – até mesmo as pequenas somas. Em momentos de maior aperto, é necessário somar tudo no final do mês e identificar onde está o seu ralo financeiro.

3. Corte

Depois de descobrir onde você está gastando mais, é hora de fazer cortes. Isso também lhe trará maior segurança na hora de pagar suas dívidas. Além dos supérfluos, é interessante verificar se você ainda pode arcar com o padrão de vida atual. Se for o caso, ajuste alguns pontos até que possa retomar o poder aquisitivo que tinha antes.

Assinaturas de TV a cabo, de jornais e revistas ou outros artigos que você quase não tem tempo de desfrutar podem ser os primeiros a sair da sua planilha. Se for para manter seu nome limpo, não tenha medo de dar esse passo.

4. Renegocie

O exercício de anotar valores de gastos, sejam eles fixos ou variáveis, dá margem para avaliar as dívidas em andamento. Depois de fazer as contas direitinho, alguns débitos pode ser renegociados junto ao credor. Se não puder pagar à vista, busque um novo parcelamento.

Quando a dívida passa a ser responsabilidade das assessorias de cobrança, é uma boa oportunidade para renegociar. Nessas ocasiões, os juros tendem a ser reduzidos, conseguindo ainda bons descontos. Entretanto, você deve ter segurança quanto ao pagamento da nova parcela, para não colocar tudo a perder.

Em algumas ocasiões, pode ser interessante buscar um empréstimo junto ao seu banco (ou mesmo com parentes), com juros menores, para cobrir uma dívida com juros muito altos. Assim, você pagará menos e terá mais segurança.

Você vai se interessar por:

Seu nome protegido

Se você convive com dívidas, precisa conhecer o Vivo Alerta CPF. Entre as suas funções, está o envio de um SMS ao cliente toda vez que ocorrer uma alteração no status do seu nome nas bases de dados da Serasa Experian, toda vez que uma empresa consultar o nome do cliente nessa base de dados e ainda quando o seu nome estiver prestes a ser negativado.

Além disso, o cliente recebe exclusivas dicas antifraude e pode visualizar o relatório completo sobre o seu CPF.

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

E você, já sane como se relacionar bem com suas dívidas? Comente!

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças