Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Reciclagem de eletrônicos faz bem ao meio ambiente e à economia

A- A+

Quando o seu celular casa estraga, qual destino você dá a ele? Desde o início dos anos 2000, quando a sociedade passou a se preocupar mais com a reciclagem de eletrônicos, profissionais de diversas áreas tentam encontrar soluções para evitar o descarte incorreto desses materiais.

Muitos dos itens de tecnologia que você possui em casa contêm metais pesados, como chumbo, níquel e cádmio, que podem ser nocivos à saúde e ao meio ambiente. A Organização Internacional do Trabalho (OIT) aponta que esse tipo de lixo soma 40 milhões de toneladas nos aterros todos os anos.

Conheça a seguir alguns projetos interessantes na área e descubra que os motivos para adotar um comportamento ambientalmente correto se estendem ao bolso.

Reciclagem de eletrônicos

Descarte de eletrônicos na natureza gera complicações ambientais. Foto: Shutterstock

Projetos diferenciados em reciclagem de eletrônicos

A sustentabilidade é um dos fatores mais importantes quando se fala em reciclagem de eletrônicos. Por isso, pesquisadores de todas as partes do mundo estão tentando desenvolver materiais biodegradáveis, que não ofereçam risco de contaminação ao solo e aos lençóis freáticos.

Celular “verde”

Na tentativa de aumentar o índice anual de reciclagem de celulares no Reino Unido (hoje em 25%), o designer Sean Miles desenvolveu um aparelho totalmente reciclado. Além de conseguir fazer a reciclagem interna de eletrônicos, ele desenvolveu um material natural, com grama, para substituir o plástico como revestimento externo.

Carregador com energia solar

O que faz sucesso atualmente são os carregadores de baterias movidos por energia limpa. Um exemplo é o da marca Changers. O kit contém uma bateria e um painel, que transforma os raios solares em 4 watts de eletricidade por hora. Só isso já é suficiente para carregar um iPhone duas vezes.

Chip biodegradável

Pesquisadores da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, desenvolveram um chip de computador totalmente biodegradável, à base de celulose nanofibril (a fibra da madeira). Esse material foi empregado na camada que abriga o processador responsável pelo funcionamento do PC. Os responsáveis garantem que ele se decompõe totalmente na natureza.

E-lixo Maps

Se você já é um consumidor consciente e quer saber quais empresas fazem a reciclagem de eletrônicos, conta com um aliado no meio digital: o Google já pensou nisso. O E-lixo Maps mostra os pontos da cidade onde há empresas que prestam esse serviço.

Reciclar é poupar dinheiro

Nem todo mundo sabe, mas não é só de metais pesados que o celular é composto. Ele também contém componentes valiosos, à base de ouro, prata e cobre. Por isso, descartar um aparelho é o mesmo que jogar dinheiro fora. Não é à toa que cresce o ramo de mineração urbana, com empresas que faturam em cima do lixo eletrônico.

Conforme um relatório da From Waste to Resources, do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Unep), uma tonelada de celulares sem baterias rende 3,5 quilos de prata, 340 gramas de ouro, 140 gramas de paládio e 130 quilos de cobre. Dinheiro demais para ser desperdiçado, não acha?

Celular para reciclagem de eletrônicos

Aparelho de celular contém metais muito valiosos em sua composição. Foto: Shutterstock

Este artigo sobre reciclagem de eletrônicos lhe fez lembrar de alguém? Compartilhe!

Nintendinho
queda do dólar
viajar para a China
viajar para a Tailândia
juros cobrados no cartão de crédito
como lidar com a avareza