Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Veja três conselhos que vão mudar sua vida financeira hoje

A- A+

Mau uso do cartão de crédito, parcelas de lojas, empréstimos junto aos bancos e financeiras e contas de telefone lideram as razões para a inadimplência do brasileiro, segundo o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Com tantas dívidas, por onde começa? Veja três conselhos que podem mudar sua vida financeira para melhor.

Analisar as contas é o primeiro dos três conselhos financeiros.

Listar e analisar todas despesas é essencial para um melhor controle de gastos. Foto: iStock, Getty Images

Três conselhos para começar a quitar suas dívidas

Para resolver seus problemas com as dívidas, é preciso organização. Conheça três conselhos da educadora financeira Cintia Senna, especialmente indicados para quem possui pendências e ainda não sabe por onde começar.

1. Liste suas pendências

O primeiro dos três conselhos é listar e analisar todas as contas, prestações e dívidas que possui. Reúna os carnês, boletos e débitos em conta em um único local, para que, assim, tenha uma visão de tudo que possui de valores a serem pagos. “Dentro desse levantamento, separe por ordem de relevância”, explica Cíntia.

Ou seja, despesas que têm bens em garantia, como os financiamentos, por exemplo, estão na frente daquelas dívidas de itens do dia a dia, cheque especial e cartão de crédito. “Assim, é possível hierarquizar quais contas realmente são mais importantes que outras”, completa.

2. Analise qual seu caixa atual

Qual o saldo que você tem de dinheiro, e quanto é o total de todas as suas dívidas? Você sabe? O segundo passo é analisar qual é o valor líquido de que dispõe no seu orçamento. Para isso, comparar despesas e ganhos é fundamental.

Desse modo, você prioriza o que pode ser quitado imediatamente e o que, nesse momento, não conseguirá terminar de pagar. “A observação a ser feita aqui é também dar prioridade para manter em ordem os débitos com garantias”, lembra a educadora.

Segundo Cintia, as dividas que têm taxas de juros mais altas devem ser analisadas separadamente, para que haja uma reflexão se, nesse momento, seria ideal continuar alimentando a “bola de neve”, ou assumir de vez a incapacidade momentânea de quitá-las.

Arcar com essa última possibilidade significa ser incluído na lista de devedores. Para a educadora, com esse certo alívio no orçamento, é possível organizar-se financeiramente e, num momento mais oportuno, fazer o acordo com o credor de acordo com as condições possíveis ao bolso.

Você vai se interessar por:

Teste: Qual o seu perfil quando se trata de planejamento financeiro?

Problemas financeiros tiram o sono e afetam a saúde

Recorrer a uma consultoria financeira pode ser útil para seu bolso

3. Sonhe

O último dos três conselhos é o que faz com que as outras orientações tenham uma efetividade. De nada adianta listar suas dívidas e analisá-las se você não tem um objetivo pelo qual lutar.

“Esses sonhos devem servir como um ‘combustível de vida’, para que identifiquem o que fez elas chegarem na situação atual”, define Cintia. O primeiro dos sonhos deve ser livrar-se das dívidas.

É fundamental priorizar o que realmente é importante, readequar seus gastos e consumo, para que consiga não só se ajustar atualmente, como manter-se longe de uma nova recaída. Segundo a educadora, uma das razões do endividamento está no imediatismo. Ao colocar metas a serem alcançadas, evita-se gastos desnecessários.

 

Que tal colocar os três conselhos em prática? Deixe seu comentário.

como aprender com erros de finanças
tempo é dinheiro?
como fazer um plano financeiro
como economizar na limpeza
melhor lugar para trabalhar
comprar alimentos no atacado