Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Veja em 5 dicas como fugir do efeito dominó das dívidas

A- A+

Você já ouviu a expressão efeito dominó? Ela é geralmente utilizada para indicar quando um fato se desdobra em muitos outros semelhantes, fazendo menção ao popular jogo no qual uma peça derruba a outra. E isso ocorre muito com as dívidas: basta entrar em uma e não conseguir sair para que novos débitos apareçam.

Brasileiros afetados pelo efeito dominó

Os números ajudam a explicar. Levantamento realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) em agosto mostrou que 54,15% das famílias tinham dívidas, sendo que 20% delas alegaram ter alguma conta atrasada. Mas pode ficar pior: 60% acreditavam não poder pagar algumas contas em setembro.

Conforme o economista e professor de finanças Marcelo Cambria, o passo mais importante para evitar o efeito dominó é cortar todos os custos possíveis. “Entretanto, se a pessoa já está endividada, é preciso renegociar junto ao credor ou contrair uma dívida mais barata para liquidar a mais cara”, explica.

Isso pode ser resolvido, por exemplo, com um empréstimo a juros menores para eliminar a dívida maior. O montante pode ser solicitado no banco ou até mesmo com parentes. “É importante também não assumir qualquer compromisso sobressalente”, destaca.

Perder o controle da situação pode resultar no efeito dominó.

Se as dívidas se acumularam, dica é quitar primeiro as de maiores juros. Foto: iStock, Getty Images

5 dicas para sair do efeito dominó

Assuma o controle

Geralmente, quando suas dívidas entram em efeito dominó, é porque você perdeu o controle da situação. É hora de fazer o seu “check up financeiro”, listando não somente o que está em atraso, mas todas as suas despesas, o que você ganha, o que gasta, e assim por diante.

Comece pagando o que tiver juros altos

As prestações que arrastam você para o poço das dívidas são aquelas que têm maiores juros. Portanto, renegocie primeiro essas. Assim, ganhará mais fôlego para colocar o restante das contas em dia.

Dê continuidade aos pagamentos

Após se livrar do efeito dominó provocado pelos juros altos, programe-se para quitar as dívidas de juros menores. É importante fazer uma programação para não falhar com os pagamentos.

Sobrou dinheiro? Amortize!

Enquanto estiver em processo de reorganização da sua vida financeira, é importante não gastar o que sobra em coisas desnecessárias. Prefira amortizar (pagar de trás para frente) os parcelamentos que ainda tem. Pagando a última, o desconto é maior, pois não haverá incidência de juros.

Evite novas dívidas

Quando chegar ao fim do processo, procure não fazer outros parcelamentos para não entrar novamente no efeito dominó. Ao menos por um tempo, até que tenha bons hábitos financeiros, prefira juntar o dinheiro e pagar à vista.

Você vai se interessar por:

Acúmulo de dívidas gera bola de neve difícil de controlar

Teste: Você sabe usar cartão de crédito de forma consciente e positiva?

Consumo exagerado não faz mal apenas ao seu bolso

Seu nome protegido

Se você convive com dívidas, precisa conhecer o Vivo Alerta CPF. Entre as suas funções, está o envio de um SMS ao cliente toda vez que ocorrer uma alteração no status do seu nome nas bases de dados da Serasa Experian, toda vez que uma empresa consultar o nome do cliente nessa base de dados e ainda quando o seu nome estiver prestes a ser negativado.

Além disso, o cliente recebe exclusivas dicas antifraude e pode visualizar o relatório completo sobre o seu CPF.

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

Pronto para fugir do efeito dominó? Compartilhe essas dicas!

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças