Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Veja dicas para usar a restituição do Imposto de Renda

A- A+

Um dinheiro extra na conta é sempre bem-vindo. Desde de junho, a Receita Federal começou a liberar os lotes referentes à restituição do Imposto de Renda referente ao ano-base de 2014. O dinheiro, no entanto, não é um presente da Receita, mas sim uma devolução de impostos pagos em excesso ao longo do ano.

O valor da restituição do Imposto de Renda varia de contribuinte para contribuinte, de acordo com seus rendimentos, e nem todo mundo é felizardo em recebê-lo. Em vários casos, é o contribuinte que fica devendo à Receita Federal.

Se você está na lista dos sortudos que têm dinheiro a receber, fique atento às datas de liberação dos lotes, que prossegue até dezembro. A consulta da restituição do Imposto de Renda pode ser feita no site da Receita Federal.

seudinheiro-Restituicao-do-Imposto-de-Renda

Esse dinheiro extra pode ser utilizado para se começar um investimento. Foto: iStock, by Getty Images

O que fazer com a restituição do Imposto de Renda

O dinheiro da restituição do Imposto de Renda pode ser utilizado para várias coisas e, em muitos casos, funciona como a salvação da lavoura para quem está devendo ou precisando de uma renda extra. Ele precisa ser utilizado então com cuidado e planejamento.

“Por ser um dinheiro extra, muita gente acaba utilizando esse dinheiro a mais de forma desordenada, perdendo a chance de organizar as finanças”, lamenta o educador financeiro e presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos.

Você vai se interessar por:
Perdeu a restituição do IRPF? Veja o que fazer
Confira o calendário de restituição do IRPF 2015
Entenda como funciona antecipação da restituição do IR

Dessa forma, segundo Domingos, a primeira preocupação de quem tem direito à restituição do Imposto de Renda deve ser com as dívidas. “Quem tiver com financiamentos ou dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito deve utilizar esse dinheiro para quitá-los ou diminuir o peso desse endividamento”, recomenda. “Essas dívidas possuem taxas de juros muito altas, então devem ser as primeiras a serem combatidas”.

Domingos indica que, antes de pagar as dívidas, o consumidor deve negociá-las para reduzir ao máximo os juros e as multas. Mas o educador financeiro reforça que não basta pagar as dívidas. “É preciso que o contribuinte combata também as causas das dívidas. Isso se faz com educação financeira”.

Restituição do Imposto de Renda: hora de investir

Para os duplamente sortudos que têm direito à restituição e não possuem dívida, esse dinheiro extra pode ser utilizado para se começar um investimento. “Ao invés de gastar com algum objeto de consumo ou de forma aleatória, o melhor é usá-lo de modo consciente”, avalia Reinaldo Domingos.

“É importante que o investimento esteja atrelado aos seus objetivos a curto, médio e longo prazo”, explica o educador financeiro. “Em muitos casos, como o valor da restituição não é alto, o melhor que o contribuinte pode fazer é formar um fundo de emergência”, aconselha. “Essa reserva financeira pode ser fundamental para possíveis imprevistos”.

Outra forma de investir esse dinheiro sem necessariamente poupar ou buscar aplicações financeiras é usá-lo para a realização de cursos que melhorem a empregabilidade do contribuinte. Cursos de línguas ou MBAs podem ajudar na busca de oportunidades de aumento da renda ou mesmo em promoções no trabalho.

Gostou das dicas de restituição do Imposto de Renda? Deixe seu comentário.

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças