Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Veja como manter as contas em dia em caso de desemprego

A- A+

A taxa de desemprego caiu em 2014 em relação a 2013, mas ela ainda é alta e assusta a maioria da população: 6,8%, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Diante do cenário de recessão econômica, o Índice do Medo do Desemprego, elaborado pelo Ibope a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI), é o maior desde 2009: 77 pontos.

O trabalhador precisa estar atento e sempre pronto encarar a possibilidade de desemprego. Quando menos se espera, a demissão bate à porta e quem não estiver preparado pode ser pego de surpresa e sofrer para manter as contas em dia.

Desemprego: precauções práticas

Nem sempre é possível, mas o mais indicado é que o trabalhador sempre tenha uma reserva para emergências. Especialistas recomendam a poupança como uma boa forma de manter uma quantia guardada de dinheiro para surpresas, como o desemprego. Sua rentabilidade não é alta, mas trata-se de investimento de baixo risco.

desemprego

Prevenção é a melhor forma para proteger finanças em caso de desemprego. Foto: iStock, Getty Images

Separar parte do salário e depositá-lo mensalmente é um bom início”, aconselha Virene Matesco, professora de economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV). “O ideal é que sejam economizados cerca de 5% de que se recebe. Uma boa reserva deve cobrir entre três e seis meses de contas regulares da pessoa”, indica.

Segundo Virene, o trabalhador que acha que pode ser demitido deve controlar seus gastos e ter consciência de como andam suas finanças. “Ter uma boa organização das finanças e manter a planilha de gastos atualizada é fundamental. Manter as contas em dia também”, aconselha.

Economia ajuda em caso de desemprego

Quando o desemprego é inevitável, o trabalhador deve listar seus custos e despesas básicas e ajustá-las. “Gastos supérfluos devem ser cortados e o ideal é que só as despesas realmente inevitáveis sejam mantidas”, recomenda a economista.

Virene aconselha o trabalhador a não acumular dívidas. “Contas pagas no vencimento evitam que juros e multas enfraqueçam suas finanças, principalmente no caso de dívidas com cartão de crédito e cheque especial”, diz.

Caso não seja possível pagar as contas em dia, a melhor opção é recorrer a empréstimos com juros baixos que vão pesar menos no bolso do que multas, juros e mora de contas específicas. A professora de economia, no entanto, reforça que o trabalhar precisa sentar e colocar todas as contas na ponta do lápis para saber se a troca de uma dívida por outra é uma boa opção.

Seguro de contas é opção

Algumas empresas oferecem um tipo específico de seguro em caso de desemprego ou invalidez permanente ou temporário. Esse tipo de serviço pode prever o pagamento das contas de celular e internet, por exemplo, por um tempo determinado estabelecido no contrato.

O seguro evita a inadimplência e o corte dos serviços. Em um cenário em que a internet exerce um papel cada vez mais importante na realocação profissional, o seguro é um facilitador para o desempregado que necessita de telefone e internet para pesquisar novas vagas e manter os contatos profissionais.

Conta garantida

Se você é cliente da Vivo e tem interesse em fazer o seguro da sua conta, pode contar com serviço Vivo Conta Garantida, que oferece o pagamento total ou parcial de sua conta de celular em caso de perda de renda mensal.

O seguro abrange trabalhadores com vínculo empregatício, bem como os autônomos que, além de garantir seus pagamentos, ainda concorrem a prêmios em dinheiro.

> Vivo Conta Garantida: Assegure 3 meses de conta paga de celular em caso de desemprego

Gostou das dicas para garantir crédito em caso de desemprego? Compartilhe!

vale a pena pedir demissão
trabalho temporario no canadá
trabalho temporario nos EUA para brasileiros em 2016
viagens econômicas pela Europa
profissões inusitadas e alternativas
como lidar com a avareza