Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Trocar lixo reciclável por desconto na conta de luz é possível em 8 estados

A- A+

O consumidor brasileiro tem sentindo no bolso o aumento das tarifas de energia elétrica. Neste ano, em alguns estados, houve reajustes de quase 40% para as residências. Mas não é só de más notícias que o segmento vive: um desconto na conta de luz pode estar ao seu alcance.

Residentes de oito estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Ceará, Pernambuco, Maranhão, Bahia e Rio Grande do Norte) podem conseguir abatimentos em suas contas de luz através da troca de lixo reciclável.

Essas e outras medidas de sustentabilidade que fornecem vale desconto ajudam a preservar o meio ambiente e a diminuir os altos índices de inadimplência nas contas de energia.

Segundo pesquisa da Serasa Expiriam, o número de calotes no pagamento da conta de luz no primeiro quadrimestre deste ano cresceu 11% em relação ao mesmo período de 2014.

Desconto na conta de luz em São Paulo

Em São Paulo, não há um limite para concessão do desconto na conta de luz. Foto: iStock, Getty Images

Funcionamento é semelhante

Apesar de serem projetos diferentes, o funcionamento é bastante parecido. Basta o consumidor recolher materiais recicláveis, levá-los aos pontos de coleta da sua cidade, que um terminal eletrônico fará a soma da quantia arrecadada e enviará o valor para distribuidora de energia fornecer o desconto.

A precificação dos materiais acontece conforme a tabela praticada pelo mercado de reciclagem. O quilo da lata de alumínio, por exemplo, é o mais rentável e custa R$ 1,70. Há valores estipulados também para a garrafa PET (R$ 1,00), papel branco (R$ 0,48), plástico (R$ 0,25), papelão (R$ 0,18) e papel jornal ou revista (R$ 0,10).

Em alguns estados, como RS e SP, não há um limite para o desconto na conta de luz. Caso a pesagem do lixo supere o valor consumido, por exemplo, o crédito restante é descontado na fatura seguinte.

Desconto na conta de luz em SP e no RS

Reconhecido pelo Ministério do Meio Ambiente como uma prática de referência para enfrentar os desafios da implantação da Política Nacional de Resíduos (PNRS), o projeto Recicle Mais, Pague Menos é idealizado por duas distribuidoras do grupo AES Brasil: AES Eletropaulo e AES Sul.

Criado em março de 2013, estima-se que o projeto já tenha recolhido mais de 2.800 toneladas de resíduos, concedendo R$ 185 mil de bônus na conta de luz dos clientes paulistas.

No RS, segundo a AES Sul, foram arrecadadas cerca de 1.710 toneladas de materiais recicláveis até julho de 2015, que contribuíram com o orçamento de pelo menos 40 mil famílias de baixa renda.

Ao se cadastrar no projeto, o cliente recebe um cartão de adesão que dá direito à troca de materiais recicláveis por descontos na próxima conta de luz.

Light Recicla dá desconto na luz no RJ

No Rio, o projeto sustentável que fornece desconto na conta de luz foi iniciado em agosto de 2011. O Light Recicla, até 2014, já tinha arrecadado 2.717 toneladas de materiais recicláveis, como papel, plástico, metal e vidro.

Além disso, foram recolhidos mais de 11,5 mil litros de óleo vegetal, o que levou a uma energia economizada de 10,6 GWh/ano.

Você vai se interessar por:

Conheça os direitos e deveres do consumidor de energia elétrica

Descubra como solicitar a tarifa social de energia elétrica

Como economizar energia? Veja dicas para reduzir consumo

Projetos pioneiros no Nordeste

Outro plano de sucesso está no Ceará. O Ecoelce, que foi colocado em prática em fevereiro de 2007 pela distribuidora de energia cearense, chegou a ganhar um prêmio entregue pela ONU às empresas que mais contribuíram para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Estima-se que, desde a sua implementação, beneficiou mais de de 33 mil famílias, com descontos que chegam próximos aos R$ 3 milhões.

Os estados de Pernambuco e Maranhão também lançaram projetos semelhantes. O primeiro em 2008 e o segundo em 2012, chamados respectivamente de Vale Luz Celpe e Ecocemar.

Já na Bahia e no Rio Grande do Norte, a implementação é um pouco diferente e funciona por meio de postos móveis. O recolhimento é feito por caminhões que visitam cidades. Assim, o consumidor deve apresentar no veículo a conta de energia do mês, um documento de identificação pessoal e o material reciclável a ser doado.

 

Esse artigo lhe fez lembrar de alguém? Compartilhe!

feiras de trocas
metas de curto médio e longo prazo
quando vale a pena comprar título de capitalização
como conseguir desconto na compra de livros
exemplos de produtos supérfluos
como pechinchar na internet