Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Tire suas dúvidas sobre seguro residencial

A- A+

Após anos de trabalho árduo para conquistar a casa ou o apartamento que você tanto sonhou, você gastou ainda mais tempo, suor e dinheiro para mobiliar com todo o conforto que tem direito, correto? Para proteger seu patrimônio, cada vez mais as pessoas apostam no seguro residencial.

Seguro residencial cresce a cada ano

Conforme a Superintendência de Seguros Privados (Susep), que regulamenta o mercado de seguros no País, o faturamento atingiu quase R$ 194 bilhões em 2014 – um aumento nominal de 9,2% em relação ao ano anterior. Desse total, o faturamento do seguro patrimonial foi de R$ 12,2 milhões (alta de 7,1%) e do habitacional foi de R$ 2,6 milhões (alta de 19,6%).

seguro-residencial

Seguro protege seus bens contra furtos ou acidentes. Foto: iStock, by Getty Images

 

5 dúvidas sobre seguro residencial

1 – Qual a cobertura do seguro residencial?

Geralmente, a cobertura básica do seguro residencial é para danos resultantes de incêndio, raio e explosão. Sem esta cobertura, não é possível contratar outras. Este seguro pode cobrir também danos elétricos, impacto de veículos aéreos ou terrestres, vendaval, roubo e furto, vidros, responsabilidade civil e familiar (quando, por exemplo, seu cachorro morde alguém), perda e pagamento de aluguel, escritório em residência e prédio e conteúdo.

2 – O que o seguro residencial não cobre?

É importante saber também que há objetos que não entram em nenhuma cobertura de seguro residencial. Documentos, dinheiro, alimentos, cosméticos e remédios não são seguráveis. Objetos de valor como obras de arte, joias, cartões de crédito e débito ou uma coleção de vinhos, por exemplo, também não entram nas coberturas tradicionais, mas podem ser segurados por meio de planos específicos.

3 – O que é a franquia do seguro?

É um valor (ou percentual) determinado na apólice, que representa a parte que o segurado paga caso ocorra um sinistro. Dessa forma, quando o valor do sinistro não ultrapassa o valor da franquia, a seguradora não indeniza o cliente.

4 – O que são bens não compreendidos?

São bens cuja indenização no prejuízo não está prevista pela seguradora. Estes itens estão especificados na apólice e geralmente são pedras, metais preciosos, obras e objetos de arte em geral, joias e raridades.

Bens de terceiros – exceto quando estão com o usuário para reparos – e outros itens como manuscritos, plantas, projetos, papel-moeda, selos, cheques, papéis de crédito, moedas cunhadas e livros de contabilidade também não são seguráveis.

5 – O que são riscos cobertos e riscos excluídos?

Os riscos cobertos estão previstos e descritos na cobertura do seguro, cujos prejuízos resultantes do sinistro serão cobertos pelo seguro. Os riscos excluídos, por sua vez, são aqueles não indenizados pelo seguro, exceto quando contratada uma cobertura específica.

Alguns exemplos de riscos excluídos são erupção vulcânica, inundação e demais convulsões da natureza, guerra interna ou externa, comoção civil, rebelião, insurreição, lucros cessantes e danos emergentes, queimadas em zonas rurais, roubo ou furto.

Proteção Master

A Vivo oferece aos seus clientes o Seguro Proteção Master, que prevê indenização em caso de incêndio, raio ou explosão. A cobertura também oferece o auxílio Cesta Básica, em caso de morte acidental do segurado em razão do sinistro. O pagamento da indenização será feito ao beneficiário indicado.

> Seguros para seus bens: Proteção da sua casa até sua bolsa, mochila e carteira

Gostou das dicas sobre seguro residencial? Cadastre-se e receba nossa newsletter.

investir em imóvel na planta vale a pena
vale a pena investir na decoração de uma casa para alugar
dividir aluguel com alguém
como calcular a reforma de um apartamento
quanto custa um seguro de casa
como escolher uma seguradora de veiculos