Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Tire suas dúvidas sobre o Imposto de Renda Retido na Fonte

A- A+

Todo contribuinte sabe que, a depender do total dos rendimentos obtidos em um ano, será obrigado a declarar o Imposto de Renda. Mas há um valor que, conforme seus vencimentos, já aparece como desconto em seu contracheque. Estamos falando do Imposto de Renda Retido na Fonte. Afinal, como ele é gerado? Tire suas dúvidas sobre a cobrança.

Mulher checa seu Imposto de Renda Retido na Fonte

Parte do imposto pode ser restituída com gastos comprovados pelo contribuinte. Foto: iStock, Getty Images

Imposto de Renda Retido na Fonte: tire suas dúvidas

O que é?

Pode parecer complicado, mas é extremamente simples. Na realidade, o Imposto de Renda Retido na Fonte é uma antecipação do tributo, retirada diretamente do salário de todos os trabalhadores que trabalham em regime de CLT.

Como é cobrado?

Atualmente, a Receita Federal conta com quatro percentuais distintos para a cobrança do Imposto de Renda. Dependendo da faixa salarial, o empregador vai reter uma parte do salário do trabalhador para o pagamento do IR no ano seguinte. Poderá ser de 7,5%, 15%, 22,5% ou 27,5%. Em um português claro: quem ganha mais, paga mais.

Quem está sujeito?

Todos os trabalhadores contratados por CLT fazem essa retirada de forma involuntária, ou seja, esse percentual do seu salário nem entra na sua conta bancária. Ele faz parte dos descontos mensais do seu salário bruto.

Qual a finalidade?

O grande objetivo de reter o imposto na fonte é antecipar o pagamento dos valores devidos para evitar um forte impacto na hora de acertar as contas com o Leão. Assim, o governo obriga a retirada mensal para garantir as reservas financeiras e evitar que os trabalhadores adquiram dívidas para fazer o ajuste de sua declaração no ano seguinte.

Em outras palavras, você paga o imposto sem sentir um grande impacto. Depois, conforme seus rendimentos totais tributáveis durante o ano, o contribuinte confere se está obrigado a declarar o IR ou não.

Como funciona a restituição?

Para os contribuintes que tiveram gastos com educação, saúde e planos de previdência privada, é possível restituir parte do Imposto de Renda Retido na Fonte. Contudo, somente aqueles que optam pelo modelo completo de declaração podem solicitar.

Naturalmente, para que o governo restitua qualquer valor, é necessário fazer a declaração corretamente. Isso significa que o contribuinte deve registrar com atenção seus números para não cair na malha fina, ou seja, no cruzamento de dados realizado pela Receita Federal a fim de identificar possíveis sonegações de impostos.

Assim como a faixa salarial define o percentual a ser retido na fonte, é possível afirmar que, quanto maior a contribuição, maior será a restituição.

Você vai se interessar por:

O 13º salário é afetado?

Embora muitos não saibam, a retenção de IR também incide sobre o décimo terceiro salário. Nesse caso, porém, em menor quantidade – uma vez que o reembolso não seria possível para o ano de declaração.

Retenção atinge PJ?

Assim como a pessoa física, a pessoa jurídica também declara IR. Neste caso, a retenção na fonte também ocorre. No entanto, a restituição é em forma de créditos no tributo – e não em dinheiro, como no caso do trabalhador.

 

Tirou suas dúvidas sobre o Imposto de Renda Retido na Fonte? Compartilhe o artigo!

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças