Vivo
 

Teste: Quanto você entende sobre os direitos de herança?

A- A+

Sempre que se fala em dinheiro, o assunto pode ficar delicado, ainda mais quando ele envolve a família. Direitos de heranças, partilha de bens e inventários podem levar a divergências e gerar discussões. Para que tudo termine de maneira pacífica, é fundamental estar sempre atento às leis e seguir as regras, o que previne também problemas posteriores.

Quando se fala em direitos de herança, o principal elemento é o inventário. Sem ele, não existe partilha. Até 2007, só podiam ser feitos inventários judiciais que podiam levar anos até se concluir todo o processo. Por ser burocrático, esse tipo de documento gera mais desgaste na relação entre familiares.

Advogada trabalha em processo sobre direitos de herança

Com auxílio de advogado, inventário pode ser realizado em cartório, com menos desgaste. Foto: Shutterstock

No entanto, desde a criação da Lei Nº 11.441/07, é possível fazer também inventários extrajudiciais por meio de escritura pública, em cartório, o que torna tudo mais rápido, barato e menos desgastante, uma vez que o processo pode ser finalizado em um ou dois meses.

Para isso, porém, é necessário seguir alguns requisitos, conforme lembra o advogado de família Adriano Ryba, presidente da Associação Brasileira dos Advogados de Família (Abrafam). Entre eles, é preciso que o falecido não tenha deixado um testamento, todos interessados devem ser maiores de idades e capazes e, por fim, se faz necessária a presença de um advogado.

Apesar de ser um elemento fundamental no processo, o inventário não é o único ponto que pode gerar dúvidas. Você sabe tudo sobre os direitos de herança? Faça o teste que o Vivo Seu Dinheiro preparou para você e descubra se é um herdeiro desinformado, um herdeiro estudioso ou um advogado familiar.

Grupo debate ser empreendedor ou empresário
Jovem em primeira viagem internacional
Mulher maneja o seu dinheiro