Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Tesouro Direto suspenso: entenda o mecanismo de proteção do investimento

A- A+

Considerada a opção de investimento em renda fixa com o menor risco do mercado, o Tesouro Direto é o programa de negociação de títulos públicos a pessoas físicas pela internet. Até aqui, nenhuma novidade. Mas você sabe o que significa Tesouro Direto suspenso? Entenda por que isso acontece e conheça as consequências para o investidor.

Tesouro Direto suspenso protege investidor

O Tesouro Nacional emite títulos públicos no mercado primário. Depois de emitidos, esses títulos podem ser livremente negociados entre os investidores, dando origem ao mercado secundário de títulos públicos.

Com esse mecanismo, é possível avaliar os títulos de forma mais eficiente e transparente, além de elevar a liquidez dos papéis, já que os investidores tomam decisões que se baseiam no desempenho do mercado.

Homem identifica Tesouro Direto suspenso

Tesouro Direto é opção de renda fixa com um dos menores riscos do mercado. Foto: iStock, Getty Images

Considere um dia em que há muita volatilidade no mercado secundário, devido a um fato que gera aumento ou queda brusca no valor dos títulos públicos. Nesse caso, o programa – que corresponde ao mercado primário – ficará defasado, porque não conseguirá acompanhar a intensa movimentação dos preços. A solução é simples: Tesouro Direto suspenso.

Ao suspender temporariamente as operações de compra e venda, o Tesouro Direto protege os investidores e o próprio programa. Isso porque, se o investidor adquirir papeis com um preço acima do praticado pelo mercado secundário, terá prejuízo. O mesmo ocorre se o Tesouro vender títulos com um preço abaixo do valor negociado no mercado secundário.

Como investir no Tesouro Direto

Desenvolvido em parceria com a BMF&F Bovespa, o Tesouro Direto surgiu em 2002, com a proposta de democratizar o acesso aos títulos públicos, permitindo aplicações a partir de R$ 30,00.

Quando o consumidor adquire um papel do Tesouro Direto – assim como qualquer outro título público –, ele empresta dinheiro para o governo brasileiro em troca do direito de receber no futuro uma remuneração por esse empréstimo. É a mesma lógica do financiamento concedido pelos bancos, mas, nesse caso, quem fica com os juros é você.

O Tesouro Direto tem liquidez diária (o investimento pode ser retomado assim que você desejar) e três modelos de rentabilidade: prefixada, indexada ao IPCA e indexada à Taxa Selic.

Para descobrir qual o melhor investimento para a sua situação, o Tesouro disponibiliza um questionário no site oficial, que permite avaliar o seu perfil e indicar a alternativa mais adequada.

Para investir, é necessário possuir conta corrente em uma instituição financeira e procurar um banco ou uma corretora, responsáveis por intermediar as transações com o Tesouro Direto.

Depois de realizar o cadastramento e apresentar a documentação necessária, você terá acesso à área restrita do Tesouro Direto, onde são realizadas as operações de compra e venda.

Pronto! Agora é só escolher os ativos com as condições que você preferir e começar a investir.

Você vai se interessar por:

Organize suas finanças

Se você quer usar o seu dinheiro de um jeito mais inteligente, conheça o Vivo Finanças Pessoais. Com ele, você recebe mensagens e participa de jogos que lhe ajudam a controlar seus gastos, poupar e investir. E você ainda participa de sorteios diários.

> Vivo Finanças Pessoais: Receba dicas por SMS e concorra a R$ 2.500 todos os dias

Gostou das dicas sobre esse investimento e de entender o Tesouro Direto suspenso? Compartilhe!

quando vale a pena comprar título de capitalização
oscilações da Bolsa de Valores
investir para viajar
agência de classificação de risco
investimento para quem tem ate R$ 10 mil
investir em imóveis