Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Tenha atenção aos dados fornecidos para instituições financeiras

A- A+

O relacionamento com as instituições financeiras está presente no dia a dia da maioria das pessoas. Os bancos realizam empréstimos, cedem crédito aos clientes e permitem que movimentem seus rendimentos e façam pagamentos por meio de contas correntes. Mas a burocracia para ter acesso a esses serviços por vezes assusta.

Na hora de abrir uma conta corrente ou solicitar cartão de crédito ou empréstimos, é comum que as instituições financeiras façam um tipo de entrevista com o futuro cliente, com perguntas pontuais e solicitação de dados.

Pode parecer tedioso e até desnecessário, mas é preciso estar atento: diante de um formulário cheio de campos a preencher, você pode “ligar o piloto automático” e nem perceber o que está informando.

Casal busca instituições financeiras

Relacionamento entre cliente e banco deve ser pautado pela transparência. Foto: Shutterstock

O que as instituições financeiras pedem

Muitas informações solicitadas pelas instituições financeiras para cadastro do cliente são dados pessoais, como nome completo, estado civil, endereço, telefone e e-mail, por exemplo.

Documentos como RG e CPF, renda pessoal, patrimônio e informações comerciais, como endereço e telefone de onde a pessoa trabalha, também fazem parte da lista dos dados coletados.

Essas informações são importantes para que as instituições financeiras verifiquem, por exemplo, se os possíveis clientes estão em listas de restrição ao crédito, como SPC ou Serasa. Elas são utilizadas ainda para estabelecer limites aos clientes a partir de suas rendas e mesmo evitar possíveis fraudes.

As instituições financeiras exigem que esses dados estejam sempre atualizados, impondo eventuais bloqueios a movimentações caso alguma das informações esteja incorreta. As atualizações podem ser feitas nas agências, pelo internet banking ou via central de atendimento.

Regras para a segurança das informações

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a abertura de conta é um contrato entre a instituição financeira e o cliente, celebrado pela livre decisão de ambos.

Segundo a cartilha Você e seu Banco, publicada pela entidade, dentro do que é permitido pela legislação, cada banco pode estabelecer condições para a aceitação de um cliente, tais como depósito inicial ou renda mínima.

Já os clientes devem apresentar originais e cópias de tudo que é exigido. “Os documentos originais devem ser apresentados para simples conferência e são devolvidos ao cliente. As cópias permanecem na agência”, informa a cartilha da Febraban.

Ainda de acordo com o documento, a abertura de uma conta corrente é um processo muito importante, que deve ser cercado de cuidados que protejam ambas as partes. Segundo a entidade, a segurança na checagem das informações é fundamental, em especial, para inibir a ocorrência de fraudes.

Em caso de fraudes online nas contas, cartões clonados ou mesmo abertura de conta com documentos roubados ou falsos, segundo o Código de Defesa do Consumidor, as instituições financeiras são obrigadas a assumir os prejuízos das vítimas.

Caso o cliente abra uma conta com documentação falsa ou roubada, ele pode responder processo criminal referente a estelionato e falsidade ideológica.

 

Você tem uma boa dica? Deixe um comentário.

quando vale a pena comprar título de capitalização
melhor lugar para trabalhar
cesta de serviços bancários
Já sabe o que fazer quando terminar a faculdade
Cuidando das finanças no lar
Fazendo o controle de finanças na prática