Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Tem como financiar uma casa com nome sujo? Tire suas dúvidas

A- A+

O sonho da casa própria está mais barato. Segundo o índice FipZap, a média de descontos concedidos em transações imobiliárias em 2015 foi de 8,8% – o maior percentual desde 2013, quando a medição foi iniciada. Mas o preço em queda não é garantia de negócio, especialmente para quem enfrenta restrições de crédito. Afinal, tem como financiar uma casa estando com o nome sujo?

Sonho pode esbarrar na análise de crédito

Em um cenário de crise, com o desemprego também batendo recordes (perda de 1,54 milhão de vagas formais em 2015, o pior índice em 24 anos), a inadimplência torna-se um problema para mais brasileiros. Apesar de negativados, muitos deles mantém o objetivo de ter um imóvel próprio.

O problema é que qualquer tipo de restrição no nome gera problemas para obter crédito imobiliário, ao menos em bancos tradicionais, como a Caixa. Mas isso não é restrito apenas ao comprador. As situações do vendedor e do próprio imóvel também são minuciosamente verificadas.

Casal não sabe como financiar uma casa

Restrições nos nomes do comprador, vendedor e ao imóvel podem impedir compra. Foto: iStock, Getty Images

Outro ponto importante é que a averiguação é bastante ampla, ao menos no que se refere ao Sistema de Financiamento Habitacional (SFH), não se limitando apenas à consulta aos órgãos de proteção ao crédito. O banco também verifica se há registro de emissão de cheques sem fundos junto ao Banco Central.

Além disso, são avaliadas eventuais pendências junto à Receita Federal e INSS e, no caso do vendedor, há uma checagem para ver se há reclamações na Justiça do Trabalho. O imóvel também precisa ter a documentação em dia, e não pode estra penhorado para o pagamento de dívidas.

Em caso de irregularidades de qualquer uma das partes, o banco informa as restrições e o processo é trancado até que os problemas sejam resolvidos.

Como financiar uma casa com nome sujo

Com essas informações, se você está negativado, já deve ter desanimado, achando que não tem como financiar uma casa estando com o nome sujo. O ideal, segundo preceitos básicos da educação financeira, é primeiro sair do vermelho e quitar todas as dívidas para só então pensar em novo débito, ainda mais tão significativo como a compra de um imóvel.

No entanto, mesmo quem figura em listas de inadimplentes pode se beneficiar: quando se trata de negociação direta com o vendedor (ou seja, sem a interferência de bancos) ou na compra e venda parcelada, o proprietário é o encarregado de fazer a pesquisa de restrições, mas pode também suspendê-la. É o que informa Lúcio Delfino, diretor presidente da Associação Brasileira dos Mutuários da Habitação (ABMH).

Mas fique atento: as taxas de juros, contudo, são maiores, e o percentual máximo de financiamento é reduzido quando comparado ao SFH. “Já nos financiamentos bancários, inclusive no Minha Casa Minha Vida, a pesquisa é fundamental”, destaca Delfino.

Você vai se interessar por:

O que é preciso para financiar uma casa

Ao se candidatar a um financiamento imobiliário, é preciso levar, primeiramente, documentos como RG, CPF e comprovantes de renda (contracheques ou extratos bancários). Também deve-se comprovar o estado civil e, quando casado, levar os documentos do cônjuge. A declaração completa de Imposto de Renda pode ser solicitada também.

No caso dos autônomos, a comprovação de renda pode ser feita por meio de Imposto de Renda, contrato de prestação de serviços, recibos de pagamento ou ainda o Decore (Declaração Comprobatória de Recepção de Rendimentos) que só pode ser emitido pelo contador.

Trabalhadores avulsos, como ambulantes, diaristas, doceiras, cabeleireiros, agricultores – e outros que eventualmente não tenham conta bancária – podem preencher uma ficha de acordo com a orientação do gerente. O banco deve informar quais os documentos necessários em cada caso.

Via de regra, o valor da parcela liberada pelos bancos não pode ser maior que 30% da renda bruta familiar. O total de recursos liberados, portanto, será de acordo com a capacidade de pagamento de cada candidato ou família.

Mas é preciso compreender que a liberação do dinheiro não depende apenas de comprovação de renda. Após verificado o montante a ser concedido no financiamento, o banco faz uma avaliação do imóvel escolhido com um engenheiro, para verificar as condições do bem e se a descrição condiz com o valor solicitado.

 

Viu como financiar uma casa com nome sujo pode não ser uma boa ideia? Compartilhe esse conteúdo!

investir em imóvel na planta vale a pena
crédito para financiar casa própria
Índice de Confiança do Consumidor
casa para família numerosa
casa dos sonhos
Comprar casas em Orlando é opção