Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Taxas do cartão de crédito: saiba o que você está pagando

A- A+

O chamado dinheiro de plástico é uma ótima ferramenta de pagamento, desde que seja utilizado de maneira correta e consciente. Saber, por exemplo, quais são e como funcionam as taxas do cartão de crédito – e lidar bem com elas – são passos importantes e demonstram educação financeira.

Preocupada com taxas do cartão de crédito

Ao conhecer taxas e fazer uso consciente, o cartão trabalha a favor do orçamento. Foto: iStock, Getty Images

Conheça as 5 taxas do cartão de crédito

Segundo a Resolução 3.919 do Banco Central do Brasil, de 25 de novembro de 2010, os bancos podem cobrar cinco taxas do cartão de crédito básico. Veja quais são e o que elas significam.

  • Pagamento de contas: a cobrança da tarifa ocorre quando são pagas no cartão de crédito contas como água, luz, telefone e gás. Mas nem todas instituições cobram essa taxa.
  • Pedido de urgência para aumentar o limite de crédito: tarifa cobrada pela avaliação da viabilidade e dos riscos envolvidos para a concessão de crédito em caráter emergencial. Segundo comparativo da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), esse custo pode chegar a quase R$ 20.
  • Utilização dos cartões para saques: a tarifa é cobrada pela realização de saques. O valor sacado no cartão de crédito é cobrado na fatura do mês seguinte e os serviços de crédito funcionam mediante pagamento das taxas de juros.
  • Anuidade: valor cobrado pela disponibilização ao cliente da rede de estabelecimentos afiliados para pagamentos de bens e serviços. Como o nome já indica, a tarifa pode ser cobrada apenas uma vez por ano. A maioria dos bancos tem modalidades de anuidade gratuita.
  • Fornecimento da segunda via do cartão: a cobrança da emissão de 2ª via é feita para a confecção e emissão de um novo cartão com função crédito.

Usando o cartão de crédito em seu favor

Conhecer as taxas do cartão de crédito ajuda o usuário a manter o seu orçamento sob controle. No entanto, esse entendimento por si só não é suficiente. É preciso também usar o próprio cartão de forma consciente, de maneira que ele, de fato, atue em seu favor.

Dois cuidados principais que se deve ter com o dinheiro de plástico dizem respeito ao seu limite e o pagamento da fatura. O educador financeiro Reinaldo Domingos recomenda que o primeiro não deve ultrapassar 50% do seu salário ou ganho mensal. “Isso evitará gastar mais do que se recebe”, completa.

No que se refere ao pagamento da fatura, a dica é fugir da parcela mínima. “As altas taxas de juros cobradas acabam levando a pessoa à inadimplência. Caso não consiga pagar o valor total, procure outra linha de crédito que não ultrapasse 2,5% ao mês”, finaliza Domingos.

Você vai se interessar por:

Cartão de crédito com benefícios

Para quem usa o cartão com consciência e aproveita todos os seus benefícios sem comprometer o bolso, falta só escolher aquele que mais se adapta às suas necessidades e exigências.

Com os Cartões de Crédito Vivo, você pode parcelar em até 12 vezes sem juros nas lojas Vivo e somar pontos no programa de recompensas Vivo Valoriza. Oferecidos em parceria com o Itaú e o Santander, eles também dão bônus e pontos para você falar mais em ligações para telefone fixo ou de longa distância, enviar SMS e acessar a internet, além de descontos em cinema e muitas outras vantagens.

> Cartões de Crédito Vivo: Conheça as vantagens

E você, como gerencia as taxas do cartão de crédito? Compartilhe!

Dicas para quem pensa em vender bens para pagar dívidas
seudinheiro-Compras-de-supermercado
sair da casa dos pais
sonho de consumo
app para gastos pessoais
melhores universidades do brasil