Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Seguro de automóveis pode ser transferido para um novo veículo

A- A+

O seguro de automóveis está entre as despesas importantes de quem possui um carro. Apesar de representar um gasto sobre algo que pode nunca ser utilizado (o que nesse caso é um ponto positivo), o produto é necessário para proteção do patrimônio.

A cobertura de um seguro de automóveis possibilita que o segurado tenha menores prejuízos em caso de roubos e acidentes de trânsito, por exemplo. Algumas apólices também garantem ao beneficiário serviços de assistência e guincho, entre outros.

Como é um produto que pesa no bolso do consumidor, muitas vezes, ao comprar um carro novo, o segurado opta por fazer a transferência do seguro ao invés de contratar um novo. Você sabia que isso é possível?

O seguro de automóveis é um gasto importante com o carro.

Valor do seguro após transferência depende do novo veículo objeto da apólice. Foto: iStock, Getty Images

Transferência do seguro de automóveis é legal

A transferência do seguro de automóveis somente é permitida se respeitar as regras estabelecidas pela Superintendência de Seguros Privados (Susep). De acordo com a legislação, para que o procedimento possa acontecer, a transição deve ser realizada entre veículos que tenham o mesmo condutor.

A assessoria do órgão informa que essa política existe porque o seguro de automóveis é construído a partir de dados personalizados do motorista, respeitando variáveis de pessoa para pessoa, como local e tipo de residência, existência ou não de garagem, finalidade e frequência do uso do veículo e região onde o carro fica estacionado regularmente.

“A apólice criada pelas seguradoras é totalmente pessoal e não pertence ao veículo, mas sim à pessoa que contratou o serviço”, explica a Susep. Dessa forma, a transferência do seguro é válida quando o condutor compra um veículo novo e quer fazer proveito da apólice de seguro do antigo.

Como transferir o seguro de automóveis

Caso o condutor queira fazer a transferência do seguro quando comprar um veículo novo, ele deve seguir os seguintes procedimentos:

– Solicitar a nota fiscal do carro novo na concessionária

– Acionar um corretor para realizar a transferência

– O corretor faz o cálculo de substituição e pede uma vistoria do carro antigo, que pode ser feita à domicílio por empresas especializadas ou em uma loja credenciada pela seguradora

– Em seguida, com a nota fiscal e o comprovante de vistoria em mãos, o corretor envia a proposta de substituição à seguradora

– Depois da análise da seguradora, ela elabora o Endosso de Substituição, que funciona como complemento do novo veículo na apólice.

Em geral, não há burocracia e a transferência pode se concretizar em um único dia. Assim que isso ocorrer, o condutor já pode retirar o carro novo na concessionária.

Alteração no valor da apólice

Além do custo da vistoria do veículo antigo, a transferência pode acarretar mudança no valor do seguro de automóveis, para mais ou para menos, a depender do novo veículo objeto da apólice.

O valor do novo seguro levará em conta elementos como a marca do carro, ano de fabricação, coberturas, valor da franquia, perfil do motorista e garagem. No ato da transferência, o segurado pode ainda retirar ou colocar mais itens na cobertura.

Você vai se interessar por:

Dá para cancelar seguro de carro? Tire suas dúvidas

Saiba o que considerar na hora de contratar o seguro do carro

Casados gastam menos em seguros de carros; entenda

Proteja sua família e concorra a prêmios

Independentemente do tipo de seguro contratado, o melhor custo-benefício é o bem-estar da sua família. Com o Seguro Premiado Vivo, você garante a proteção dos seus entes queridos e ainda concorre a prêmios no valor de R$ 2.500 por dia. Para participar, basta enviar a palavra SEGP para 8051.

> Seguro Premiado Vivo: Proteja a sua família e concorra a prêmios

Gostou das dicas para transferir seguro de automóveis? Deixe seu comentário.

Viajar ou comprar um carro
Comprar casas em Orlando é opção
Como é morar no campo
Trabalhando na reforma de casas antigas
O que são commodities
Como escolher corretora para Tesouro Direto