Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Scanner 3D promete digitalizar formas; conheça a tecnologia

A- A+

Uma das principais novidades do mercado tecnológico na atualidade é a scanner 3D. Seguindo a onda das impressoras, o dispositivo promete digitalizar objetos em terceira dimensão. Imagine recriar o seu cãozinho de estimação? Conheça um pouco mais desse objeto inovador.

Como funciona?

O modelo mais testado de scanner 3D é o Sense, criado pela empresa norte americana a 3D Systems, especializada em soluções de terceira dimensão. O modelo, semelhante a uma pistola, possui três sensores frontais, responsáveis pela varredura. Para digitalizar um objeto, é preciso direcionar o scanner até que o aparelho capture as imagens.

sense

Sense possui três sensores frontais, responsáveis pela varredura. Foto: 3D Systems, Divulgação

A digitalização não demora muito tempo. Além disso, o processo é semelhante a tirar uma foto panorâmica no seu smartphone. Os cuidados que você precisa tomar na hora da captação da imagem são na circulação do objeto e no foco. Para que saia tudo perfeito, é preciso circular todo o conteúdo, bem lentamente, para que o scanner não perca o foco.

O primeiro sensor projeta uma luz infravermelha no objeto a ser lido. Depois, essa luz é captada pela câmera posicionada, também, na parte frontal. Com software instalado no scanner 3D é possível modelar o objeto com base no que é captado pelo sensor. A terceira lente adiciona as cores e as texturas ao objeto desejado.

O dispositivo é compatível com os sistemas operacionais Windows 7 e Windows 8, além da plataforma Mac OS X 10.8 ou superior.

O Sense permite a digitalização de três tamanhos de objetos, pequeno, médio e grande. Apesar disso, o modelo tem dificuldades em escanear conteúdos com uma variedade muito grande de detalhes, exceto os traços dos rostos de pessoas, os quais o aparelho consegue fazer um bom reconhecimento.

Versão de scanner 3D para aparelhos da Apple

Para você que tem um modelo de iPad (Air, Mini, 4ª geração), a 3D Systems lançou o iSense. O lançamento tem qualidade superior ao seu antecessor. Com uma maior faixa de varredura e ajustes otimizados, o novo modelo resolve, justamente, o problema do antigo: os detalhes nos objetos menores.

Mas a sua principal facilidade é a tecnologia de reconhecimento automático de objetos, que extrai alvos precisos mesmo com fundos em movimento. O iSense transforma o físico em digital, ao gerar arquivos de impressão.

Uma alternativa ao Sense

A NextEngine também possui um scanner 3D. O modelo alia potência e acessibilidade. Os dados mais limpos, que possuem uma maior facilidade na hora da edição. Segundo o site da empresa, o seu principal ponto forte está na nova tecnologia implementada. Uma nova arquitetura ótica com uma grande variedade de lasers, que permite uma varredura em paralelo. O resultado disso é uma taxa de transferência mais potente e rápida.

Este artigo lhe fez lembrar de alguém? Compartilhe!

Pokémon Go
metas de curto médio e longo prazo
quando vale a pena comprar título de capitalização
vale a pena comprar um videogame
LG X Screen
relógio ou celular