Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Tiro esportivo faz sucesso no Pan. Veja como praticar

A- A+

A participação brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Torono, no Canadá, rendeu 141 medalhas, sendo 41 ouros. O desempenho colocou o país em terceiro lugar no quadro geral, atrás apenas de Estados Unidos e Canadá. Entre os campeões, três conquistas no tiro esportivo chamaram a atenção por aqui.

Felipe Wu (pistola de ar 10m), Júlio Almeida (pistola 50m) e Cássio Rippel (carabina deitado 50m) subiram no lugar mais alto do pódio. O país ainda teve a prata de Emerson Duarte (Pistola tiro rápido 25m). Foi a melhor participação do tiro esportivo brasileiro em todas as edições dos Jogos, exaltou em seu site a Confederação Brasileira de Tiro Esportivo (CBTE).

O destaque obtido por um esporte ainda pouco conhecido dos brasileiros pode fazer crescer o número de praticantes. Se esse for o seu interesse, sabe por onde começar? Conheça mais sobre a modalidade e os valores envolvidos.

tiro-esportivo

Brasileiros medalhistas no tiro esportivo no Pan de Toronto. Foto: Divulgação, CBTE

O que é o tiro esportivo?

O vice-presidente da CBTE, Ricardo Brenck, explica que o esporte é dividido em três categorias: tiro com carabina, tiro com pistola e tiro ao prato. Brenck também faz parte da diretoria que cuida das duas primeiras modalidades.

Ele calcula que a prática do tiro esportivo tenha um investimento inicial de US$ 6 mil. “Com esse valor, porém, o atleta fica no mínimo cinco anos sem necessidade de qualquer outro gasto em equipamentos”, aponta.

O esporte é praticado em locais específicos, que são os estandes de tiro. O espaço adequado, atualmente, é o maior desafio dos desportistas. “Estamos sempre esbarrando na dificuldade de encontrar locais para praticar, pois são poucos os clubes no Brasil com essas condições”, explica Brenck.

“Seria interessante que os clubes se interessassem em construir espaços para que o número de adeptos desse esporte possa crescer”, aponta Brenck. O próprio Felipe Wu revelou à imprensa que treinava o esporte no pátio de casa, pois não encontrava locais preparados para a modalidade.

tiro-esportivo

Estandes de tiro existem em número insuficiente no Brasil. Foto: Divulgação, CBTE

Por onde começar?

Se você está interessado no esporte, é importante seguir algumas dicas. O vice-presidente da CBTE recomenda que é melhor começar pelas provas de ar comprimido – também conhecidas como tiro de “chumbinho” – pois não são armas de fogo e têm um custo menor.

“Para esse tipo de prova, as armas e munição não têm uso monitorado pelo Exército, que é o órgão controlador das armas de fogo”, sustenta o dirigente. No tiro esportivo com ar comprimido, há provas com carabina e pistola nas categorias masculino e feminino.

Para se ter uma dimensão maior do esporte, o tiro esportivo tem dez provas olímpicas, sendo quatro delas praticadas com armas de ar comprimido e as outras seis com armas de fogo.

Você vai se interessar por:

Armas de brinquedo viram febre entre adultos; compare 4 modelos

Roupas para esporte devem prezar pelo conforto

Veja ideias de esporte ao ar livre para praticar

tiro-esportivo

Foi a melhor participação do Brasil no tiro esportivo em Jogos Pan-Americanos. Foto: Divulgação, CBTE

Perfil do praticante de tiro esportivo

Brenck observa que o tiro esportivo é uma modalidade que tem como princípio a concentração, a disciplina e o auto controle. “Portanto, as pessoas que já têm essas características, certamente terão facilidade nas provas”, justifica.

Ainda assim, ele esclarece que aqueles que não se identificam com esse tipo de postura, podem vir a desenvolvê-las com o tempo. “Idade e porte físico não importam para ser um bom desportista do tiro”, reforça o vice-presidente da CBTE.

 

Interessado em praticar o tiro esportivo? Cadastre-se e receba nossa newsletter.

Comprar casas em Orlando é opção
Como é morar no campo
Trabalhando na reforma de casas antigas
Como escolher corretora para Tesouro Direto
Uso de LED no projeto de iluminação residencial
Reaproveitamento da água do chuveiro