Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Saiba quando recorrer à Transferência Eletrônica de Fundos

A- A+

Quando pensamos em transferir dinheiro para alguém, geralmente ficamos em dúvida frente às opções oferecidas pelos bancos. Atualmente, um dos meios mais utilizados é a Transferência Eletrônica de Fundos (TEF). Mas você sabe o que é e como funciona?

Para o que serve a Transferência Eletrônica de Fundos

Como o próprio nome diz, a Transferência Eletrônica de Fundos serve para transferir dinheiro para outra pessoa física ou empresa. Entretanto, ela só pode ser efetuada quando ambos os usuários – pagador e recebedor – possuem contas correntes, já que as poupanças estão vedadas para esse tipo de transação.

Além de funcionar como um depósito, normalmente realizado via internet banking, a TEF também é a operação mais usada para transferir o dinheiro de pagamentos via cartões de débito e crédito em estabelecimentos comerciais.

Ou seja, quase sempre que você passa o seu cartão para pagar um produto ou serviço, na realidade está fazendo uma TEF da sua conta para a conta do proprietário do estabelecimento. Para poder fazer esse tipo de transação, o empresário precisa ter um sistema de automação condizente com o processo.

Um dos meios mais utilizados é a Transferência Eletrônica de Fundos.

TEF é operação mais usada para transferir dinheiro de pagamentos via cartão no comércio. Foto: Shutterstock

Outras formas de transferência

A Transferência Eletrônica de Fundos não é a única opção disponível na hora de transferir dinheiro. Conheça mais sobre outras duas modalidades que são, inclusive, muito semelhantes à TEF.

Transferência Eletrônica Disponível

Ao optar pela Transferência Eletrônica Disponível (TED), o valor transferido aparece na conta do recebedor em um prazo de cinco a dez minutos após a operação.

Esta é uma das operação largamente utilizadas no home banking. Entretanto, só é válida para valores acima de R$ 3 mil e para transferências para contas de outro banco.

Documento de Ordem de Crédito

Muito semelhante à TED, o Documento de Ordem de Crédito (DOC) também é uma forma de transferência de recursos entre contas correntes de bancos diferentes. O que distingue uma operação da outra são os valores e os preços. O DOC pode ser realizado para quantias até o limite de R$ 5 mil.

Com esse recurso, o valor aparece na conta somente no dia seguinte, pois a transferência é realizada de forma eletrônica no final do dia, após passar pelo sistema de compensação bancária da instituição recebedora. Entretanto, as tarifas costumam ser mais baratas que na TED.

Se houver como escolher entre TED e DOC (de R$ 3 mil a R$ 5 mil) a segunda modalidade se mostra mais vantajosa. Em outras palavras, se não for extremamente necessário enviar o dinheiro no mesmo dia para outra conta, essa é a operação mais econômica.

Você vai se interessar por:

Tarifa bancária pode virar bônus

Quer mais vantagens? Transforme suas tarifas em benefícios. Com a Conta Bônus, as mensalidades pagas ao banco ou à administradora do cartão de crédito podem ser integralmente revertidas em bônus de ligações. Os valores são convertidos em crédito de forma automática, em um prazo de até dez dias após o débito da tarifa.

> Conta Bônus: Transforme tarifas bancárias e anuidade do cartão em bônus para o celular

Tirou suas dúvidas sobre a Transferência Eletrônica de Fundos? Compartilhe!

quando vale a pena comprar título de capitalização
como lucrar vendendo cachorro quente
como lucrar vendendo bolo no pote
como abrir uma franquia de alimentos
como abrir uma empresa de coleta de entulho
como se relacionar com as pessoas no ambiente de trabalho