Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Saiba quais sistemas ficarão sem suporte para WhatsApp

A- A+

O principal app para troca de mensagens instantâneas completou sete anos em fevereiro, mas uma notícia negativa acabou marcando o aniversário: devido à falta de requisitos e capacidade de alguns dispositivos móveis, não haverá mais suporte para WhatsApp para algumas plataformas de celular.

Até o fim de 2016, os usuários que quiserem continuar usando o aplicativo devem trocar de aparelho e optar por sistemas operacionais que sejam compatíveis.

Suporte para WhatsApp suspenso

Aplicativo WhatsApp deve concentrar esforços nas plataformas mais utilizadas. Foto: iStock, Getty Images

Fim do suporte para WhatsApp

A justificativa da empresa para o encerramento do suporte para WhatsApp aponta para a concentração de esforços em plataformas mais utilizadas.

Quando o aplicativo surgiu, em 2009, segundo informações do WhatsApp, 70% dos smartphones da época tinham o seu sistema operacional desenvolvido pela BlackBerry e Nokia. Hoje, os números mudaram bastante.

Ao considerar dados apenas do mercado brasileiro, segundo estudo da Kantar Worldpanel, há domínio do sistema Android (91,8%), com Windows Phone em segundo (5,1%) e iOS em terceiro (2,8%).

Em escala global, esse percentual de preferência por um sistema operacional interfere diretamente na quantidade de aplicativos desenvolvidos para cada um deles. Ou seja, quanto mais pessoas usarem o sistema Android, mais apps serão criados para ele.

Os afetados pelo fim do suporte para WhatsApp

Veja abaixo quais são as plataformas afetadas pela suspensão do suporte para WhatsApp:

  • BlackBerry, incluindo BlackBerry 10
  • Nokia S40
  • Nokia Symbian S60
  • Android 2.1 e Android 2.2
  • Windows Phone 7.1.

Alguns aparelhos da marca BlackBerry já apresentam sistema operacional com Android. A Nokia também está investindo em tecnologia de software e alguns de seus modelos de celulares mais recentes já estão chegando ao mercado com Windows 10.

Aplicativos alternativos

Se você tem um aparelho que se encaixa na lista divulgada pelo WhatsApp e não pretende trocar dispositivo, tem solução. Existem outros aplicativos no mercado que oferecem as mesmas funções que o WhatsApp. Conheça quatro deles:

Telegram

Esse aplicativo ganhou maior destaque quando o WhatsApp foi bloqueado no país, em 2015, devido a uma ordem judicial. Ele permite, assim como o seu rival, a troca de mensagens de texto, vídeos e imagens. Ainda é possível compartilhar arquivos em formato PDF e doc, por exemplo. Outra vantagem é que é gratuito e não apresenta propagandas.

Viber

O Viber aposta em sua disponibilidade em diversas plataformas e, por isso, pode ser uma boa opção para você que deseja continuar mandando mensagens para seus amigos. É possível realizar chamadas, pois o aplicativo utiliza o seu número de telefone para cadastro.

Facebook Messenger

Esse aplicativo já é conhecido dos usuários da rede social Facebook. Como os outros, funciona de forma semelhante ao WhatsApp, mas nesse app é possível enviar mensagem apenas para quem faz parte do seu círculo de amigos na rede social. O Facebook Messenger pode ser utilizado no computador, além das tradicionais plataformas.

LINE

É outro aplicativo que surge como opção e aposta nos stickers, figuras animadas ou não, para atrair usuários. O LINE está disponível para as plataformas iOS, Android, Windows Phone, Blackberry e Nokia.

Você vai se interessar por:

Proteção para o seu celular

Se o celular é indispensável para você, que tal cuidar melhor dele? Você pode evitar o prejuízo financeiro em caso de roubo, quebra e outros acidentes com o seu aparelho. O Vivo Multiproteção Celular oferece proteção para aparelhos novos, em caso de roubo ou furto qualificado e cobertura adicional contra danos materiais ao celular. Você também concorre a sorteios mensais de R$ 10 mil.

> Vivo Multiproteção Celular: Proteja seu aparelho contra roubo, furto, quebra e imersão em água

Você já usa alguma das alternativas ao WhatsApp? Comente!

Pokémon Go
queda do dólar
viajar para a China
viajar para a Tailândia
juros cobrados no cartão de crédito
como lidar com a avareza