Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Saiba o que impacta no custo de vida em São Paulo

A- A+

Está cada vez mais caro morar em algumas cidades brasileiras, especialmente nas capitais. O Índice do Custo de Vida em São Paulo, por exemplo, subiu 0,48% em setembro na comparação com agosto, conforme o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Segundo o estudo, alimentação, habitação, saúde e transporte são os principais responsáveis pelo elevado custo de vida na capital paulista.

Custo de vida em São Paulo é alto.

Paulistanos têm na alimentação, habitação, saúde e transporte os maiores gastos. Foto: iStock, Getty Images

Alta no custo de vida em São Paulo

Não é apenas nos dados do Dieese que o custo de vida em São Paulo se destaca de forma negativa ao bolso. No ranking estabelecido pelo site Custo de Vida, uma iniciativa que compara cidades brasileiras, a capital paulista ocupa a primeira posição, como a mais cara para se morar no país.

Para o educador financeiro Antonio Nascimento, há vários fatores que explicam a alta no custo de vida em São Paulo, além daqueles pontuados pelo Dieese. Segundo ele, os altos preços são reflexo, principalmente, de um sistema tributário falho que sufoca os brasileiros.

Ele destaca que, no Brasil, as empresas são obrigadas a pagar 88 tipos de impostos – alguns deles repassados diretamente ao consumidor. “O sistema fiscal é, na minha opinião, o grande vilão do elevado custo de vida, não só em São Paulo, como em todo país”, completa.

O que pesa no custo de vida em São Paulo

Para se ter um melhor panorama do custo de vida em São Paulo, o Vivo Seu Dinheiro estimou gastos médios nos diversos segmentos que fazem parte do dia a dia do brasileiro. Confira os valores das principais despesas e veja quanto custa morar na terra da garoa.

Habitação

São Paulo é a segunda cidade brasileira com o valor do metro quadrado mais caro no país: R$ 8.614,00 em média, segundo a mais recente divulgação do índice FipeZap.

Alugar um apartamento no centro, na região do Anhangabaú ou na República, no entanto, pode ser mais em conta. De acordo com Nascimento, um imóvel nessas localidades vale em torno de R$ 1.200, mais o condomínio. O custo total chega pode chegar a R$ 1.800.

Custo de vida em São Paulo é alto

Aluguel de imóvel na região do Anhangabaú pode ser mais econômico. Foto: iStock, Getty Images

Alimentação

No que se refere à alimentação, a realidade dos preços dos supermercados paulistas é semelhante a das grandes cidades. A dica aqui é pesquisar e comparar os preços em diferentes estabelecimentos a fim de encontrar os produtos mais baratos.

Segundo Nascimento, uma pessoa que mora sozinha não gasta menos que R$ 500 por mês em compras no supermercado.

Em relação às refeições realizadas fora de casa, o preço médio dos pratos é de R$ 27,89, segundo levantamento da Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert). Mas é possível encontrar almoços com diferentes custos, dependendo da região e do tipo de estabelecimento.

“Um valor razoável de uma refeição é R$ 20, mas próximo dos centros empresariais sobe para R$ 40 e, se for em um restaurante caro, esse custo pode chegar a R$ 80”, completa o especialista.

Custo de vida em São Paulo é alto

Para economizar nas compras em São Paulo, a dica é pesquisar bastante. Foto: iStock, Getty Images

Contas domésticas

Na metade do ano, as contas de luz tiveram um aumento médio de 15,23% aprovado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Foi apenas mais um dos impactos do ano na tarifa de energia. Quem mora sozinho, em média, paga R$ 50 mensais.

Ainda na relação de despesas básicas, é preciso considerar os gastos com água e gás – muitas vezes incluídos no valor do condomínio de quem mora em apartamento.

Já um plano de internet, TV e telefone custa cerca de R$ 150, sem contar as tarifas telefônicas de longa distância, segundo estimativas do educador financeiro.

Transporte

Devido ao trânsito caótico na capital paulista e o recente aumento no preço dos combustíveis, o ideal é utilizar o transporte público.

Na última semana de outubro, segundo dados da ANP, o preço médio da gasolina em São Paulo era de R$ 3,295 pelo litro – 7,5% a mais do que a média mensal de setembro, quando o custo era de R$ 3,067 pelo litro.

As tarifas de ônibus ou metrô custam R$ 3,50. Se for utilizar táxi, a bandeirada custa R$ 4,50 (comum), R$ 5,65 (especial) e R$ 6,75 (luxo), além do valor por quilômetro rodado: R$ 2,75 (bandeira 1) ou R$ 3,58 (bandeira 2).

Custo de vida em São Paulo é alto

Transporte público é a alternativa mais em conta para se deslocar em São Paulo. Foto: iStock, Getty Images

Você vai se interessar por:

Lazer

Um ingresso de cinema (inteira), na média, custa R$ 25 na tela normal. Se for 3D, pode subir para R$ 35. Se for ao teatro, será preciso desembolsar, em média, R$ 70. Já para shows, a depender da atração, a despesa pode chegar a R$ 250.

A academia, por sua vez, gera um gasto aproximado de R$ 115 mensais. Já para assistir a uma partida de futebol, o valor médio pago é de R$ 80.

Custo de vida em São Paulo é alto

Quer um lazer gratuito em São Paulo? O Parque Ibirapuera aguarda você. Foto: iStock, Getty Images

Educação e Saúde

Os gastos com educação e saúde também são expressivos na capital paulista. A mensalidade em uma faculdade de médio padrão, segundo Nascimento, custa por volta de R$ 1.200.

Já em relação à saúde, também é preciso preparar o bolso: um plano médico tem um valor que pode chegar a R$ 300 em uma modalidade individual.

 

E você? Como lida com o custo de vida em São Paulo? Comente!

como viver melhor
Como ter uma boa qualidade de vida
Como é morar no campo
Diferença entre crescimento econômico e desenvolvimento econômico
Aprendendo como lavar carro com economia
Carro pode ter câmbio manual ou automático