Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Saiba em que situações é vantajoso abrir conta no exterior

A- A+

Quem pensa que abrir conta no exterior é só para milionários ou investidores internacionais está enganado. Em algumas situações específicas, essa pode ser a melhor opção para o seu bolso. Mas é importante conhecer detalhes do processo para não errar.

Homem pensa em abrir conta no exterior

Abrir conta fora do Brasil costuma ser rápido, sem burocracia e com facilidades. Foto: iStock, Getty Images

Quando abrir conta no exterior

A praticidade é palavra de ordem nos dias de hoje. Afinal, ter tempo para entrar em filas de banco já pode ser considerado uma ostentação. Por isso, pessoas que viajam com frequência ao exterior, ou que passarão algum tempo fora – meses ou anos – para uma experiência de trabalho ou estudo, podem ter vantagem abrindo uma conta.

Além da agilidade para receber salário – quando se trata de trabalho fora do país – e da segurança por meio dos pagamentos em débito, abrir conta no exterior é sinônimo de taxas menores.

Naturalmente, haverá cobrança de tarifas, mas inferiores aos 6,38% de IOF que os brasileiros pagam nas operações financeiras no exterior. Hoje, esse é o percentual pago sobre compras no cartão de crédito, saques com cartões pré-pagos ou carregamento do dispositivo, além das compras com cheques de viagem.

Como abrir conta no exterior

A documentação necessária irá depender do país para onde você vai viajar. Via de regra, é exigido o passaporte e o documento que seria equivalente ao nosso CPF. Nos Estados Unidos, por exemplo, é o Social Security Card.

Geralmente, há pouca burocracia. As contas são abertas imediatamente, sendo que o cancelamento é igualmente rápido.

Em muitos países, quando você deposita uma certa quantia, fica livre da tarifa de abertura de conta. Mesmo que não tenha um montante a ser depositado, é possível abrir conta de forma rápida e fazer todas as suas transações pagando menos tarifas.

Outra forma de viabilizar o procedimento é solicitando ao seu banco no Brasil antes mesmo de viajar. Muitos bancos possuem filiais no exterior. Se for o seu caso, pode ganhar tempo e facilidade, pois pode transferir o dinheiro que já está na sua conta no Brasil para a conta no exterior. Mas verifique as taxas cobradas para isso e avalie se vale a pena.

Lembre-se também que, se for fazer uma viagem e levar (ou trazer) quantias superiores a R$ 10 mil em espécie, é obrigatória a declaração desses valores por meio do preenchimento do e-DBV (Declaração Eletrônica de Bens de Viajantes).

Após preencher esse documento, é preciso apresentar-se à fiscalização aduaneira do aeroporto, antes da saída ou entrada no país, para a conferência da declaração. A omissão pode levar à retenção e até mesmo perda dos valores.

Você vai se interessar por:

Seu cartão para os gastos no exterior

Se você quer um cartão para pagar por seus gastos no exterior, é só escolher aquele que mais se adapta às suas necessidades e exigências. Com os Cartões de Crédito Vivo, você pode parcelar em até 12 vezes sem juros nas lojas Vivo e somar pontos no programa de recompensas Vivo Valoriza.

Oferecidos em parceria com o Itaú e o Santander, eles também dão bônus e pontos para você falar mais em ligações para telefone fixo ou de longa distância, enviar SMS e acessar a internet, além de descontos em cinema e muitas outras vantagens.

> Cartões de Crédito Vivo: Conheça as vantagens

Você também tem uma boa dica para abrir conta no exterior? Comente!

melhores universidades do brasil
quando vale a pena ter cartão de credito
como cancelar pedido feito no cartão de crédito
reembolso no cartão de credito
formas de pagamento para fazer compras pela internet
como entender a fatura do cartão de crédito