Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Revender semijoias é chance de ganhar dinheiro sem sair de casa

A- A+

Se você ainda não pensou em revender semijoias, talvez seja hora de avaliar a possibilidade. Afinal, esses acessórios estão presentes em diversas partes do corpo e fazem muito sucesso entre o público feminino. Quem sabe não é essa a chance de você equilibrar as contas e sair do vermelho?

Revender semijoias como alternativa de renda

De acordo com a Confederação Internacional da Joalheria, Ourivesaria, Diamantes, Pérolas e Pedras (CIBJO), as populares semijoias devem ser chamadas, se corretamente confeccionadas, de joias folheadas. É a terminologia também utilizada pelo Sebrae para determinar o trabalho de revenda do produto.

Se você pensando em empreender, vale lembrar que não é de hoje que as joias, folheadas ou não, chamam a atenção não apenas pelo valor material, mas pelo seu design. Além disso, é possível ver pessoas utilizando-as no pescoço, mãos, orelhas, nariz, roupas, cabelos e em vários tipos de adornos.

Mulher contente por revender semijoias

Segmento de joias folheadas é boa aposta para conquistar uma fonte de renda. Foto: iStock, Getty Images

Isso explica a riqueza de possibilidades desse mercado. É muito difícil encontrar alguém que não utilize ou goste de algum acessório, que não tenha comprado para si ou presentado outra pessoa, que não tenha marcado uma ocasião com um anel, um colar ou um brinco. Seja símbolo de status ou de afeto, lá estão as mais variadas peças.

Tal característica é responsável por levar a indústria a sempre se renovar. O mercado, segundo o Sebrae, tem respondido favoravelmente, especialmente o online, que é o mais favorável para investir. Ou seja: se você está pensando em vender esse produto, vale a pena pensar em um site para ele.

Montar um site não chega a ser caro atualmente, tampouco difícil, mas exige cuidados. A profissionalização e formalização do negócio é sempre recomendada, indica o Sebrae. Além disso, é bom investir em um fotógrafo, dica válida também se você trabalhar apenas com um catálogo offline.

Tenha os produtos em mãos

Outra dica diz respeito ao estoque: mantenha sempre uma quantidade mínima de seus produtos. Segundo o Sebrae, o ideal é gerar o menor impacto na alocação de capital de giro. O estoque mínimo é calculado levando em conta o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na empresa – ou sua casa, se você ainda não tiver uma sede.

De acordo com a entidade, os principais produtos comercializados por uma revenda de joias folheadas costumam ser aros, brincos, brincos de argola, pingentes, anéis, alianças, pulseiras, braceletes, artigos esotéricos, letras, correntes ou colares, broches, meia aliança, olho grego e artigos religiosos, gargantilhas, tornozeleiras, piercings e ponto de luz.

Já o capital de giro necessário para revender semijoias em uma loja virtual de pequeno porte é estimado em cerca de R$ 40 mil.

Como conseguir as semijoias

Para revender semijoias, há dois caminhos principais: você pode comprar os produtos em lojas físicas ou virtuais, em atacados voltados a esse mercado – o que garante um valor menor pelas peças.

Diferentes marcas trabalham com esse sistema e, para aderir, a regra geral é estar cadastrado como revendedora. Fique atento às condições de compras, opções de pagamento, garantia, possibilidade de troca e se a empresa em questão exige a aquisição de uma quantidade mínima de semijoias.

Você vai se interessar por:

Gostou das dicas para revender semijoias? Compartilhe!

Pokémon Go
como lucrar vendendo artesanato
como lucrar vendendo cosméticos
Saiba como ganhar uma renda extra com aluguel
como abrir uma academia de ginástica
como abrir uma pizzaria