Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Reconhecimento facial: sua selfie pode virar senha

A- A+

As selfies estão na moda e dominam as redes sociais. Basta acessar para ver famosos e anônimos caprichando no autorretrato. Mas esse hábito divertido pode virar coisa séria. Com a tecnologia de reconhecimento facial, um aplicativo de smartphones pode transformar seu rosto em senha para realizar compras online.

Reconhecimento facial no e-commerce

A onda de tirar fotos de si mesmo, as famosas selfies, não passou batida pelo mercado de cartões de crédito. A Mastercard está desenvolvendo um app que torna possível a compra e aprovação online por meio de uma selfie, usando um sistema de biometria, o reconhecimento facial, ou certificação em transações com as digitais.

A ideia é que o aplicativo permita ao cliente decidir se quer usar a plataforma digital ou o reconhecimento facial para pagar. Conforme a MasterCard, as fotos serão convertidas em código e transmitidas pela internet.

Selfie se transformou em senha.

A selfie como senha é pensada para garantir a segurança do consumidor. Foto: iStock, Getty Images

Se o cliente escolher pagar com a biometria, o site solicitará que, ao final, ele tire a foto, e o sistema de reconhecimento facial identificará se o autor da compra é mesmo o proprietário do cartão.

A ferramenta tem o objetivo de aproximar a marca da nova geração sem abrir mão da segurança nas movimentações, que será maior, como explica Fersen Lambranho, líder de soluções inovadoras da empresa. “Eles são vidrados em selfies. Pensamos que eles acharão isso legal e acabarão aderindo”, diz Lambranho, também sócio-executivo da GP Investimentos.

Onde encontrar o reconhecimento facial

A companhia já fechou parcerias com várias empresas especializadas em tecnologia, como BlackBerry, Apple, Microsoft e Samsung.

O app com o novo sistema de autenticação de compras por reconhecimento facial deve disponibilizado primeiro para 500 clientes no mês de setembro, ainda em fase de testes. Se aprovado, será liberado para o público.

A inspiração veio da Apple, que já havia implantado o sensor biométrico nas compras do sistema Apple Pay, que utiliza a impressão digital. Também está sendo desenvolvido um programa baseado no tom da voz e a Mastercard busca outras formas de eliminar a combinação numérica.

Você vai se interessar por:

Acesso ao internet banking exige atenção aos riscos

Entenda a importância do código de segurança do cartão de crédito

Como definir uma senha segura? Veja dicas

Novidade desperta polêmicas

O reconhecimento facial já deixou de ser ficção científica nas buscas de fotos em redes sociais, mas logo vai estar presente também em aplicações mais complexas, que envolvem segurança no dia a dia.

Tanto que já é utilizado em sistemas policiais e já existem inclusive outros dispositivos para driblar o reconhecimento, como óculos que bloqueiam a biometria.

No Facebook, a tecnologia já despertou polêmicas por conta da questão de privacidade, já que o sistema identifica a pessoa mesmo que ela não queira ser identificada, salvo aqueles que fizerem as alterações em suas configurações de conta.

Alguns estudos já trabalham com a possibilidade de fazer com que a biometria seja possível até mesmo no escuro, analisando imagens infravermelhas e comparando fotos em ambientes claros, buscando semelhanças, Mas ainda há dificuldades, considerando o mapa de calor do rosto se exercitando ou em repouso, por exemplo.

 

Gostou da novidade? Cadastre-se e receba a nossa newsletter.

Pokémon Go
como lucrar vendendo artesanato
como lucrar vendendo cosméticos
como abrir uma academia de ginástica
como abrir uma pizzaria
como montar uma drograria