Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Quer aprender a poupar e investir? Confira 4 lições para colocar em prática já

A- A+

Aprender a poupar faz parte da vida de todo mundo. Ou pelo menos deveria fazer. Economizar com gastos e fazer o dinheiro sobrar no final do mês não é fácil e exige paciência e disciplina, mas abre portas para o futuro e para a realização de sonhos.

Se você já é um poupador, ótimo. Está no caminho certo. Mas apenas poupar não é o suficiente. Além de economizar, é preciso também investir.

Segundo dicas do aplicativo financeiro GuiaBolso, para aprender a poupar, é preciso que o consumidor analise suas finanças, crie metas para os seus gastos e ajuste as despesas para fazer o dinheiro sobrar ao invés de faltar no final do mês.

Aprender a poupar é importante para o consumidor.

Poupar o dinheiro ganho com suor é atitude essencial para o orçamento familiar. Foto: iStock, Getty Images

Como aprender a poupar em 4 passos

Segundo o educador financeiro Reinaldo Domingos, para aprender a poupar, a pessoa deve seguir quatro importantes passos: diagnosticar, sonhar, orçar e poupar.

1. Diagnosticar

“Diagnosticar é fazer o planejamento financeiro”, explica. “É fazer uma lista de gastos, comparar com a renda mensal e descobrir onde é possível reduzir ou eliminar despesas”, completa.

Essa etapa inicial tem como objetivo mapear o orçamento para que a pessoa nunca gaste mais do que ganha. “É a primeira lição de quem quer aprender a poupar”, orienta Domingos. “Os gastos de uma pessoa nunca podem ultrapassar seus rendimentos”, acrescenta.

2. Sonhar

O segundo passo inclui sonhar e ter metas financeiras, essenciais para que a pessoa mantenha seu planejamento e não caia na tentação de gastar mais do que deveria. “Sonhar é estabelecer metas, a curto, médio e longo prazos”, afirma Domingos.

As metas a curto prazo são relativas à criação de um fundo de emergência, por exemplo. As de médio prazo podem ser referentes à carreira ou mesmo realização de sonhos de consumo. Já as de longo prazo dizem respeito aos recursos para a aposentadoria.

3. Orçar

Com as metas estabelecidas, é hora de o consumidor fazer o orçamento para cada uma delas. No caso do fundo de emergência, por exemplo, especialistas recomendam uma poupança cujo valor seja equivalente a seis meses de despesas mensais.

O orçamento das metas a médio prazo são mais variáveis, de acordo com os desejos de cada um. O mesmo vale para os recursos relativos à aposentadoria, que dependem do estilo de vida de cada pessoa.

Você vai se interessar por:

Descubra como economizar dinheiro ganhando pouco

Novo aplicativo promete solução para quem precisa economizar

Saiba como economizar em tempos de alta da inflação

4. Poupar e investir

Segundo Domingos, não basta aprender a poupar e ter metas: é preciso também que o consumidor invista o dinheiro economizado. “Deixar dinheiro parado não é uma boa ideia. Você precisa pensar em bons investimentos que vão fazer com que o dinheiro poupado renda mais”, recomenda.

Segundo o educador financeiro, cada pessoa tem um perfil de investidor. O ideal é que o consumidor escolha tipos de investimentos adequados a seu perfil e suas metas.

Ele considera importante também monitorar periodicamente as aplicações. “Às vezes, pode ser necessário trocar de aplicação ou aumentar o esforço de poupança caso os recursos não estejam rendendo de acordo com suas metas”, finaliza.

 

Que tal colocar as dicas em prática e aprender a poupar? Comente!

quando vale a pena comprar título de capitalização
oscilações da Bolsa de Valores
como funciona o auxílio maternidade
como funciona o auxílio creche
como funciona o auxílio doença
investir para viajar