Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Queda do consumo das famílias brasileiras é reflexo da crise

A- A+

A crise econômica que assola o país traz consigo algumas consequências, como a crescente queda do consumo das famílias brasileiras. Conforme o IBGE, no primeiro trimestre desde ano houve retração de 1,7% no consumo em comparação ao último trimestre de 2015.

Crise provoca queda do consumo das famílias brasileiras

Compararmos com igual período do ano passado (ou seja, com o primeiro trimestre de 2015), a retração no consumo é ainda mais acentuada, na ordem de 6,3%. Em tese, essa redução de consumo é ocasionada pelo aumento da inflação, perda de renda e dificuldade de acesso ao crédito bancário. Isso sem contar o desemprego, que fechou o primeiro trimestre em 10,9%.

Queda do consumo das famílias brasileiras

Queda no consumo resulta em ofertas para quem ainda tem poder de compra. Foto: iStock, Getty Images

Além dos efeitos práticos no bolso, com produtos caros e rendimento em baixa, o consumidor também não sente confiança de que a situação vá melhorar logo. Atualmente, o desajuste político no Brasil acaba desanimando qualquer um a comprar e a dar passos financeiros que poderão comprometer seu orçamento em longo prazo.

Com essa recessão, já considerada a maior dos últimos 25 anos, o brasileiro vem sentindo a perda do poder de compra no dia a dia. Se você está com dificuldade de adequar seu orçamento a este cenário, veja algumas dicas.

Faça seu ajuste de contas domésticas

1 – Identifique gastos

O primeiro passo para uma boa gestão financeira é saber exatamente onde seu dinheiro é gasto. A maneira maneira de fazer isso é por meio de uma planilha financeira, onde você deve registrar todas as despesas – incluindo aquelas insignificantes, como um cafizinho ou um lanche na rua.

2 – Faça o diagnóstico financeiro

Se suas finanças estão “doentes”, faça um diagnóstico. Depois de um mês – ou mesmo uns 15 dias – observe sua planilha e veja qual a despesa que está consumindo a maior parte do seu dinheiro. Você pode se surpreender ao perceber o rombo que é aberto por gastos corriqueiros de R$ 5 ou R$ 10.

3 – Corte despesas

Um dos pontos cruciais para manter suas contas no azul é conseguir cortar as despesas. Mais do que analisar sua planilha e perceber os gastos que podem ser eliminados, é preciso ter desapego. Repense seu padrão de vida e avalie se os seus rendimentos são suficientes para a maneira como você está vivendo. Lembre-se de viver de acordo com sua realidade.

4 – Elimine supérfluos

Comece cortando os produtos ou serviços que você paga mas não consome, como assinatura de TV, jornais e revistas. Ou mesmo fazendo as compras mensais de uma forma mais consciente, sem exageros

5 – Inclua a família no processo

Para reduzir as contas da casa, é fundamental ter uma conversa franca com a família. Explique a situação e peça o apoio de todos.

Você vai se interessar por:

Seu nome protegido

Se você convive com dívidas, precisa conhecer o Vivo Alerta CPF. Entre as suas funções, está o envio de um SMS ao cliente toda vez que ocorrer uma alteração no status do seu nome nas bases de dados da Serasa Experian, toda vez que uma empresa consultar o nome do cliente nessa base de dados e ainda quando o seu nome estiver prestes a ser negativado.

Além disso, o cliente recebe exclusivas dicas antifraude e pode visualizar o relatório completo sobre o seu CPF.

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

E você, está sentindo na pele a queda do consumo das famílias brasileiras? Comente.

É importante entender de finanças bem antes de sair de casa.
sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns