Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Pronto para o novo ano? Comece 2016 com o hábito de poupar

A- A+

Com o fim do ano se aproximando, é importante se planejar para as despesas tradicionais dessa época, como Natal, Reveillon e férias. Mas que tal ir além e criar o hábito de poupar para os gastos que chegarão em 2016?

Hábito de poupar: a hora é agora

Em um cenário econômico de crise, organizar as finanças é de extrema importância. Para quem está endividado, então, essa é a hora para almejar um 2016 longe dos débitos. Como se sabe, o final e o começo do ano são épocas críticas para as finanças pessoais, pois demandam muitos gastos.

Segundo o educador financeiro Antonio Nascimento, as pessoas, na sua maioria, se veem pressionadas com a fatura do cartão de crédito, carnês, impostos e várias outras despesas que nem sempre o salário do mês dá conta. Para ele, é preciso estabelecer o hábito de poupar com antecedência para não se endividar com essas despesas extras.

Criar o hábito de poupar é uma boa para o próximo ano.

Criar o hábito de poupar pode fazer de 2016 um ano mais tranquilo economicamente. Foto: Shutterstock

5 dicas para criar o hábito de poupar

Ao criar o hábito de poupar, é possível celebrar as festividades e dar conta de todos os compromissos financeiros sem preocupações.

Mas o educador financeiro adverte que, tirando as contas que precisam ser pagas, os gastos extras não devem tomar mais dinheiro do que o orçamento da família permitir. “Mantenha o seu padrão de gastos controlado”, completa.

Confira cinco dicas que podem ajudar você a criar o hábito de poupar e ter um 2016 melhor que o ano que está terminando.

Liste suas despesas

Faça uma lista de todos os gastos que estão por vir. Por exemplo: compras de Natal, despesas com festas de fim de ano, possíveis viagens, matrículas, material escolar, IPVA, IPTU, seguro do carro e outras.

Orce seus gastos

Com essa lista em mãos, estime o quanto gastará com as despesas e quando elas devem ser pagas. O objetivo é não apenas priorizar pagamentos que vencerão antes, mas também guardar algum dinheiro para os pagamentos seguintes.

Guarde o 13º salário

Se você recebe o benefício, então, é hora de não cair na tentação de gastar todo esse dinheiro extra. Use-o para acertar suas contas, reservar parte para as despesas que você sabe que virão e se empenhe para conseguir guardar alguma quantia para construir uma reserva.

Priorize o pagamento de dívidas

Caso possua dívidas, independentemente das despesas que estão por vir, essas devem ter a sua prioridade. Para isso, pesquise a melhor forma de pagar o que deve.

Será que consegue renegociar os valores? Suas finanças permitem adiantar parcelas? Se possui dívidas no cartão de crédito e não consegue negociar, a dica é trocar essa dívida por outra com juros menores.

Mantenha as contas em dia

Para quem já possui contas no azul, é o momento ideal para começar a guardar um pouco mais na sua reserva para imprevistos, construindo um montante para arcar com as despesas extras e ainda se esforçar para que sobre um pouco mais. Considere quais gastos podem ser reduzidos ou cortados para entrar em 2016 com o orçamento em alta.

Você vai se interessar por:

CPF protegido, nome limpo

Criar o hábito de poupar é fundamental para, eventualmente, limpar o seu nome e manter as contas em dia. Se você convive constantemente com essa dor de cabeça, precisa conhecer o Vivo Alerta CPF.

Entre as suas funções, está o envio de um SMS ao cliente toda vez que ocorrer uma alteração no status do seu nome nas bases de dados da Serasa Experian, toda vez que uma empresa consultar o nome do cliente nessa base de dados e ainda quando o seu nome estiver prestes a ser negativado.

Além disso, o cliente recebe exclusivas dicas antifraude e pode visualizar o relatório completo sobre o seu CPF

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

Esse artigo lhe fez lembrar de alguém? Compartilhe!

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças