Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Couchsurfing é mais do que um hotel barato

A- A+

Interessado em viajar com pouco dinheiro? Se para alguns essa pode ser uma opção difícil de imaginar, ela é uma realidade para quem está disposto a experiências novas. Você já pensou, por exemplo, em dormir no sofá em uma viagem? Essa é a ideia do couchsurfing, muito comum na Europa e nos Estados Unidos desde a década passada.

A opção pode agradar quem procura um hotel barato ou albergue em uma viagem internacional. A ideia do serviço não é apenas oferecer acomodação mais barata para viajantes, mas, principalmente, uma troca de experiências entre anfitriões e convidados.

Muito além de um hotel barato

O couchsurfing é uma rede social de viajantes em que o usuário abre a sua casa e oferece um quarto vago ou o sofá para hospedagem. Quem deseja se inscrever no serviço deve criar um perfil no site Couchsurfing e preencher ali suas principais características, além de incluir algumas fotos de suas viagens.

Depois disso, o usuário pode oferecer o seu sofá para outros viajantes, receber solicitações de acomodação, buscar opções hospedagem e ainda descobrir eventos da comunidade em sua cidade ou no seu destino. Ao chegar no local de destino, no entanto, vale conhecer e respeitar as regras do anfitrião, especialmente no que tange ao horário. Se oferecer para dividir algumas despesas ou para compartilhar uma experiência gastronômica também ajudam a enriquecer a experiência.

Mais do que a busca por um hotel barato, o couchsurfing também oferece o contato com um “guia local”. Ao dividir sua casa com o convidado, é comum que o anfitrião também compartilhe conhecimentos sobre a cidade, pontos imperdíveis e bons restaurantes.

Couchsurfing é uma rede social de viajantes. Foto: Shutterstock

Couchsurfing é uma rede social de viajantes. Foto: Shutterstock

Uma alternativa ao couchsurfing

Ficar na casa de alguém não é bem a sua onda, mas ainda assim está procurando um hotel barato? Além de albergues e hosteis, pesquise também por sistemas de aluguéis de imóveis ou quartos privativos em que o proprietário está ausente do local. Se você já está acostumado a procurar por hospedagem em agregadores de preços e promoções, mas não tem coragem de sair da rede hoteleira, saiba que não há muita diferença nas duas modalidades.

Sites como AirBnB e Wimdu oferecem o mesmo sistema dos agregadores: pagamento com cartão de crédito e garantias de segurança das transações. Nesses casos, o preço não costuma ser tão mais barato do que em hotéis, mas há opções de imóveis mais espaçosos e equipados, que podem tornar sua viagem mais confortável.

Para as duas opções, a melhor forma de escolher ainda é buscar a avaliação de outros usuários, resenhas em blogs ou mesmo conversar com amigos e conhecidos que já passaram pela cidade e possam ajudar com dicas e sugestões.

Gostou das dicas ou você ainda prefere um simples porém honesto hotel barato? Comente!

É importante entender de finanças bem antes de sair de casa.
queda do dólar
como lidar com a avareza
viagens econômicas pelo Brasil
como economizar na limpeza
preço do dólar turismo