Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Previna o endividamento ao realizar suas compras de Natal

A- A+

Com o fim de ano chegando, o movimento nas lojas de varejo deve aumentar em todo o país. Se você também pretende realizar compras de Natal, é importante se planejar e não perder tempo: quanto mais para a última hora deixar, maior a chance de se complicar financeiramente.

Você pode gostar muito de dar presentes, mas a falta de planejamento nessa hora acaba por comprometer o orçamento para um ano que ainda nem iniciou. Que tal prevenir essa situação e fugir do endividamento?

Mulher realiza compras de Natal

Melhor estratégia para não se endividar é estabelecer limite de gastos e respeitá-lo. Foto: Shutterstock

Fuja de problemas financeiros nas compras de Natal

Para não contrair débitos com as compras de final de ano, a atitude fundamental é registrar as despesas e definir limites de gastos para o orçamento familiar.

O educador financeiro Conrado Navarro, do Portal Dinheirama, recomenda analisar as finanças com calma e cuidado para encontrar o valor possível de gastos para presentes.

O próximo passo, segundo o especialista, deve ser elaborar uma lista de presentes, que deve respeitar os valores previamente discutidos e o orçamento como um todo. “Se não tiver dinheiro para tudo, use a criatividade, diminua o valor dos presentes desejados e prefira a sinceridade”, destaca Navarro.

Segundo ele, a economia brasileira desacelerou e, com isso, muitos comerciantes estão aceitando negociações mais agressivas para vender e aliviar o estoque. Em função disso, o consumidor deve primeiro criar as condições para comprar, ou seja, deve encaixar os desejos e compras nas possibilidades do orçamento.

A partir desse momento, a negociação deve ser pela compra à vista e com desconto, sempre tentando chegar ao gerente e abordando a empresa com o discurso de queda nas vendas e a possibilidade de negócio imediato. “Quem tem dinheiro e condições costuma conseguir excelentes negócios em tempos de crise”, afirma.

De acordo com Navarro, é preciso considerar a importância e o impacto desses descontos, ao final, para o orçamento pessoal. Ele lembra que, em um país com inflação e juros elevados, todo e qualquer desconto deve ser negociado e aproveitado.

“É preciso lembrar de algo sobre matemática financeira: nenhum produto custará daqui 12 meses o mesmo que custa hoje, portanto, essa história de mesmo preço à vista e para parcelar em 12 vezes é mentira. O preço à vista deve ser diferente daquele praticado à prazo”, explica.

Compras online devem ser consideradas

A internet se mostra como uma ótima opção para quem planeja as compras com antecedência e se dedica a pesquisar preços e alternativas de compra.

Navarro recomenda que o consumidor use a web para encontrar ofertas, mas procure também negociar descontos nas lojas físicas de sua preferência, baseados nos preços encontrados nos sites de lojas. “Muitas redes aceitam o preço mostrado pelo consumidor e preferem cobrir a oferta para fechar negócio na hora”, finaliza.

Você vai se interessar por:

Compras de Natal com descontos

Quer fazer as suas compras de Natal pagando menos? Para aproveitar as melhores promoções, conheça o Vivo Descontos. Com esse serviço, você terá direito a cupons de desconto e promoções em restaurantes e lojas das melhores marcas do Brasil. Na primeira semana, não paga nada e, após o fim desse período, é cobrado R$ 2,99 por semana.

> Vivo Descontos: Receba cupons ilimitados por SMS, internet ou aplicativo de smartphones

Gostou das dicas para não extrapolar gastos nas compras de Natal? Compartilhe!

metas de curto médio e longo prazo
quando vale a pena comprar título de capitalização
como aprender com erros de finanças
como conseguir desconto na compra de livros
exemplos de produtos supérfluos
como pechinchar na internet