Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Prevenção de fraudes na web deve se estender do computador ao celular

A- A+

Com o uso da internet cada vez mais difundido no país, aumenta também a quantidade de pessoas mal-intencionadas que utilizam esse meio para realizar golpes. Para não ser mais uma vítima das ameaças virtuais, manter-se bem informado pode ser a melhor dica de prevenção de fraudes.

Postura reativa, não preventiva

Apesar de a prevenção ser necessária, não é exatamente esse o comportamento observado em todas as organizações financeiras.

A Pesquisa de Riscos de Segurança de TI 2015, realizada pela Kaspersky Lab, especializada em segurança digital, identificou que 48% delas adotam medidas para proteger seus clientes contra ameaças online, mas focam em atenuar as consequências e não exatamente na prevenção de fraudes.

Ainda segundo o levantamento, 29% das empresas de todos os setores acreditam que é mais barato e eficaz resolver os casos de fraude depois que acontecem, em vez de evitar a sua ocorrência.

Prevenção de fraudes na web

Seja no computador ou smartphone, usuário está vulnerável à golpes na web. Foto: iStock, Getty Images

5 dicas de prevenção de fraudes virtuais

Se você é adepto da ideia de que mais vale prevenir do que remediar, coloque em prática as cinco dicas de prevenção de fraudes, elaboradas pelo Banco Santander. Assim, ao navegar pela internet, você estará mais protegido contra as ameaças virtuais.

1. Nunca acesse um site por meio de links contidos em e-mails. Sempre digite na barra de endereços o site que deseja acessar.

2. Mantenha o seu antivírus ativo e atualizado.

3. Instale um firewall, que possa bloquear o recebimento de vírus em seu computador. Existem versões gratuitas no mercado, mas verifique sua procedência e certifique-se de que o fabricante oferece confiabilidade.

4. Cuidado com downloads, especialmente com os arquivos com extensões “.exe”, “.zip” e “.scr”.

5. Crie senhas difíceis de serem descobertas.

Avanço das fraudes no Brasil

Seguir as dicas de prevenção de fraudes é também um esforço individual para reduzir o número de golpes virtuais que se concretizam em todo o país.

Em 2014, 3,98% das compras realizadas no comércio eletrônico foram consideradas ilegais. Ou seja, o consumidor foi enganado ao fechar um negócio em site não confiável, muitas vezes criado apenas com o intuito de roubar dados de usuários.

Segundo o Mapa de Fraude no Brasil 2014, elaborado anualmente pela ClearSale, empresa especializada na elaboração de soluções antifraude para transações comerciais, todas as regiões do país experimentaram no ano passado um maior número de golpes. O Sudeste, por exemplo, finalizou 2014 com um índice de 3,57% contra 3,48% do ano anterior.

O estudo também apontou os segmentos com a maior procura pelos fraudadores: aparelhos e jogos de videogame (13,74%), telefonia móvel (7,09%), eletrônicos (4,89%), informática (3,74%) e artigos esportivos (2,90%) foram os principais destaques.

Você vai se interessar por:

Tenha atenção aos dados fornecidos para instituições financeiras

Scam, phishing e spam: como driblar ameaças virtuais

Veja exemplos de fraudes em sites e e-mails para clientes Itaú

Celulares também são alvo

Engana-se quem pensa as fraudes só atingem computadores e notebooks. Outro estudo realizado pela ClearSale aponta que as ameaças digitais também estão atingindo mais os dispositivos móveis. A previsão é que, em 2015, uma em cada seis tentativas de fraudes (18%) será via celular.

As regiões potencialmente mais atingidas serão a Sudeste e a Nordeste com, respectivamente, 59% e 24% de tentativas de fraudes por aparelhos móveis.

 

Gostou das dicas sobre prevenção de fraudes? Compartilhe!

como lucrar vendendo cachorro quente
como lucrar vendendo bolo no pote
como abrir uma franquia de alimentos
como abrir uma empresa de coleta de entulho
como se relacionar com as pessoas no ambiente de trabalho
como aumentar a produtividade