Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Prazo, atraso e recusa: tire suas dúvidas sobre indenização

A- A+

Hoje em dia, ninguém mais discute a importância dos seguros de qualquer natureza. Seja contra acidentes, seguro pessoal ou para bens de menor valor. Porém, muitos usuários se queixam da demora na entrega da indenização após um sinistro.

A primeira medida para agilizar o pagamento da indenização é comunicar o sinistro – ou seja, o acontecimento do evento previsto e coberto no contrato – imediatamente à seguradora. Quando isso ocorre fora do horário comercial, o usuário pode ligar para o serviço de atendimento 24 horas da seguradora. A agilidade na comunicação é fundamental.

indenizacao

Ser transparente em relação ao seu estado de saúde é essencial. Foto: iStock, by Getty Images

 Qual o prazo para pagamento da indenização?

Conforme a Superintendência de Seguros Privados (Susep), a liquidação dos sinistros deve ser realizada em prazo não superior a 30 dias, contados a partir da entrega de todos os documentos por parte do segurado ou beneficiário.

Entretanto, a contagem pode ser suspensa em caso de dúvida. Se houver alguma pendência e a seguradora solicitar novos documentos, o prazo para recebimento da indenização recomeça a partir do dia útil subsequente à  entrega da nova remessa. É fundamental que o usuário solicite um protocolo que comprove a entrega do material.

Seguradora x prazo

Outro fato que pode ocorrer é o atraso, por parte da companhia de seguros, no prazo determinado pela Susep. Nesse caso, a seguradora deve pagar indenização com valores atualizados, com base na variação positiva do índice de inflação definido em contrato.

Quando há penalidades, como multa e juros definidas em contrato, essas também serão pagas. A taxa de juros, no entanto, deve estar definida nas condições gerais do plano.

Quando a companhia se recusa a pagar

Uma das maiores dores de cabeça de beneficiários é quando a seguradora se recusa a pagar a indenização do seguro de vida. Nesse caso, a melhor saída é a prevenção já na realização do contrato. Antes da assinatura, o segurado deve pedir esclarecimento de todos os detalhes para evitar a dupla interpretação posteriormente.

Também é importante que o segurado seja transparente ao fornecer informações sobre o seu estado de saúde e histórico médico. É a partir dessas informações que a companhia vai calcular o valor da indenização.

Bens de menor porte

Alguns bens considerados pequenos em tamanho, mas algumas vezes com valor mais elevado, vêm ganhando cada vez mais adesão a seguros, conforme informações da associação de consumidores Proteste. Itens como óculos, joias, obras de arte, bicicletas e notebooks cada vez mais engordam a lista das seguradoras.

Porém, conforme a Proteste, cada um desses artigos possui regras específicas. Na hora de proteger joias e obras de arte (os chamados objetos de valor), assim como laptops, o bem pode ser protegido juntamente a um seguro residencial.

Proteção urbana

Para quem vive em grandes cidades a Vivo conta com o seguro Proteção Urbana. Ele garante indenização em caso de roubo ou furto qualificado de sua bolsa ou pasta, estando coberto também os bens nela contidos. Além disso, cobre também o pagamento de indenização quando ocorrer a morte do segurado decorrente de crime.

> Seguros para seus bens: Proteção da sua casa até sua bolsa, mochila e carteira

Gostou das dicas para indenização? Compartilhe!

meu marido morreu tenho direito a pensão
quanto custa um seguro de casa
Comprar casas em Orlando é opção
Como é morar no campo
Trabalhando na reforma de casas antigas
Como escolher corretora para Tesouro Direto