Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Plano de investimento para 2016: o que precisa ficar de fora

A- A+

Diante de um panorama econômico nada favorável, é importante contar com um bom plano de investimento para 2016, o que significa tomar alguns cuidados se quiser seguir aliando boa rentabilidade ao menor risco possível.

Dentro da sua estratégia financeira, porém, não basta estabelecer metas e ações para alcançá-las: é essencial considerar as condutas erradas, aquelas que lhe fazem perder dinheiro, e ter sua organização para passar longe delas.

Homem monta plano de investimento

Momento não é propício para aplicar em ações com objetivo de curto prazo. Foto: iStock, Getty Images

Previna erros no plano de investimento

Todos sabem que é importante aplicar para conseguir o máximo de rentabilidade. Mas é importante ter muita cautela para evitar erros comuns. Saiba que ações precisam ficar de fora do seu plano de investimento para 2016:

Investir sem planejamento

De todos os erros que se pode cometer ao aplicar dinheiro, esse é, provavelmente, o pior. Não planejar onde colocar o dinheiro, quando quer ganhar e o que deseja fazer com o lucro pode significar um trabalho inútil.

Afinal, se você não estuda as aplicações previamente, não terá ideia se está realmente ganhando ou perdendo. Em meio à crise, é necessário conhecer bastante o investimento, pois muitos deles não compensam o esforço.

Apostar na poupança

A caderneta, definitivamente, está rendendo muito abaixo do esperado. Se os juros e inflação seguirem em alta, o quadro deve ficar pior, conforme avisam os especialistas. A menos que queira retirar o dinheiro a qualquer momento, pense em outras alternativas. Há diversos investimentos de baixo risco no mercado.

Ignorar os custos

Sim, os investimentos também têm custos. Taxas de administração, de custódia, de corretagem e até Imposto de Renda, em alguns casos, incidem sobre as suas aplicações – seja sobre o lucro mensal ou na retirada do capital. É importante não entrar na zona de conforto quando determinado investimento está rendendo mais.

Investir em renda variável

Com a taxa básica de juros (Selic) em elevação, apostar em ações e imóveis (renda variável) pode ser arriscado em curto prazo. O mercado oferece bons investimentos indexados à Selic ou ao DI. Na dúvida, converse com um especialista.

Acreditar em falsas promessas

É claro que todos sonhamos em fazer um negócio da China, um investimento que traga alto retorno e de forma muito rápida. Mas as coisas não funcionam bem assim na vida real. É preciso ter atenção aos golpistas e suas falsas promessas de lucro fácil. Cuide bem do seu dinheiro.

Você vai se interessar por:

Boas opções para seu plano de investimento

A maré está mais favorável aos investimentos de renda fixa, aqueles em se define a remuneração no momento da aplicação. Embora não gerem alta rentabilidade, você consegue prever o que irá receber. Veja exemplos:

Tesouro Selic

É um título público negociado pelo Tesouro Direto, que remunera conforme a variação da Selic, a taxa básica de juros, no período de aplicação. Oferece baixo risco.

CDB

O Certificado de Depósito Bancário nada mais é do que um empréstimo que se faz aos bancos. Em contrapartida, eles devolvem o dinheiro com juros. Geralmente, são pós-fixados e atrelados à taxa DI. A aplicação tem a mesma garantia da poupança, pois é respaldada pelo Fundo Garantidor de Crédito.

LCI e LCA

As Letras de Crédito Imobiliário de as Letras de Crédito do Agronegócio são títulos emitidos pelos bancos para financiar investimentos nos respectivos setores. Embora exijam um recurso inicial elevado, contam com isenção de IR.

 

Já montou o seu plano de investimento para 2016? Deixe seu comentário!

como montar uma padaria
Viajar ou comprar um carro
O que são commodities
Acompanhando o rendimento do Tesouro Direto
Um investidor de primeira viagem
Investidor no fundo referenciado