Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Pesquisa da FGV aponta o melhor banco para investir

A- A+

Se você já é adepto de aplicações financeiras, sejam elas de renda fixa ou variável, de baixo, médio ou alto risco, é possível que já tenha se deparado com a seguinte dúvida: qual é o melhor banco para investir no Brasil? Bom seria ter um indicador claro sobre isso, não é mesmo? Desde 2013, ele já existe.

O prêmio Melhor Banco para Investir é uma iniciativa da Fundação Getúlio Vargas que analisa e reconhece as principais instituições bancárias brasileiras. Com base nas opções de investimento oferecidas pelo banco, a entidade atribui notas e cria um ranking informativo para os brasileiros.

O melhor banco para investir

Banco ideal é escolhido a partir de seu atendimento, estrutura e serviços oferecidos. Foto: iStock, Getty Images

O ranking do Melhor Banco para Investir

No início de cada ano, o Centro de Estudos em Finanças da FGV divulga os resultados da pesquisa referente ao ano anterior. O núcleo de pesquisas já liberou as informações sobre os bancos analisados em 2015 – seis no total – considerando somente as empresas que possuem um mínimo de 50 agências e atendem as principais cidades do país.

Com base nos dados da Fundação, o melhor banco para investir na atualidade é o Santander. No ranking, a média final do escolhido é de 8,95, sendo que a análise calculava notas entre 0 e 10. Das seis categorias de classificação utilizadas, o banco ocupou as primeiras colocações em 5: Varejo, Varejo Seletivo, Ações, Multimercados e Money Market.

As categorias são avaliadas por uma comissão julgadora e se referem aos serviços prestados pelo banco e suas qualidades.

Segundo a FGV, na classe Varejo, são avaliados os fundos cujos clientes possuem menor poder aquisitivo. Já o Varejo Seletivo, seriam os serviços voltados a quem está acima do nível Varejo, mas ainda se enquadra no mesmo tipo de segmento.

Money Market é a categoria que analisa os fundos de investimento de curto prazo e os fundos DI (sigla referente ao CDI, Certificado de Depósito Interbancário). A categoria Renda Fixa, na qual que o Santander não teve a melhor classificação, inclui os fundos que buscam superar os movimentos de preço dos títulos de renda fixa.

No ranking geral, logo atrás do Santander, está o Banco do Brasil, com nota 8,52, seguido pelo Bradesco, com 8,08 e o Itaú, com 8,04. A Caixa Econômica Federal ocupa a quinta colocação, com nota 7,17, seguida pelo pior banco para investir, segundo a FGV: o HSBC, que obteve nota final 6,6.

Como é escolhido o melhor banco para investir

Para formar o ranking do prêmio Melhor Banco para Investir, o Centro de Estudos em Finanças da FGV utiliza uma série de critérios, que são divulgados em nota oficial no site da instituição. As notas atribuídas aos tipos de fundos compõem 40% do conceito final, contando com o maior peso, mas não são as únicas técnicas avaliativas.

São considerados aspectos como a Evolução da Taxa de Administração (com 7,5% de participação), a Evolução do Ticket Médio (divisão do Patrimônio Líquido do fundo pelo número de cotistas, com peso de 7,5%) e a Evolução do Número de Reclamações (com relação ao banco ou ao fundo, também com 7,5% de participação na nota).

Ainda com peso de 7,5%, estão os custos dos pacotes oferecidos pelo banco, obtidos através de dados da Febraban, a Federação Brasileira de Bancos. Os outros 30% que compõem a classição do melhor banco para investir são formados pelo Índice Fractal, da empresa de pesquisas Fractal, parceira do FGV nesse prêmio.

O índice é composto em 25% pela qualidade dos fundos oferecidos pelos bancos, 40% pelo atendimento em fundos e 10% pela avaliação dos extratos e serviços operacionais. Outros 10% são atribuídos aos serviços prestados por outros funcionários e 15% têm relação com os serviços de internet banking para os clientes desse setor.

 

E para você, qual o melhor banco para investir? Deixe seu comentário!

O controle financeiro pessoal e o futebol
quando vale a pena comprar título de capitalização
oscilações da Bolsa de Valores
investir para viajar
agência de classificação de risco
investimento para quem tem ate R$ 10 mil