Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Peças para celular: pense bem antes de comprar itens usados

A- A+

De acordo com o Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (SNDC), desde 2010 o celular está na lista de produtos essenciais, o que garante a troca imediata em caso de mau funcionamento. Mas no caso de problemas tardios, muitos consumidores procuram peças para celular usadas para reduzir gastos com conserto. Será que essa atitude vale a pena?

Prevenção evita a troca de peças para celular

Antes de mais nada, é preciso cuidar do celular desde a compra. Pouca gente gosta, mas é importante ler o manual do aparelho. Ali você encontra informações importantes como cuidados, limpeza e manutenção – o que já evita vários problemas futuros.

No caso de problemas em uma das peças para celular, o manual também pode informar a quem recorrer, mesmo fora da garantia. É claro que há casos em que o conserto será feito por peças originais. Mas que garantia você tem de que isso é verdade?

pecas-para-celular

Consumidores procuram peças para celular usadas para reduzir gastos. Foto: iStock, by Getty Images

Peças para celular usadas: o barato sai caro

O que não falta na internet é oferta de peças para celular. Tem de tudo: sites, lojas físicas, em qualquer esquina perto de sua casa ou até um pouquinho mais longe, como as opções de compra do Paraguai. Mas cabe lembrar que todos os fabricantes recomendam a reposição exclusivamente por peças originais.

A bateria, por exemplo, deve ser sempre original e aprovada pelo fabricante. Isso é consenso entre todos os especialistas em tecnologia. Ela é um componente que pode explodir em determinadas situações, como altas temperaturas ou outros fatores que levem a um curto-circuito. Se você investiu bastante na compra do celular, é ideal continuar mantendo.

Com a dependência estabelecida entre seres humanos e celulares, nos dias de hoje muita gente opta por consertar em casa o aparelho, apenas para não correr o risco de deixá-lo um longo tempo na assistência técnica. Isso também pode sair mais caro.

Trocar aleatoriamente peças para celular que ainda está na garantia ocasiona a perda desse direito. Vale lembrar que a loja da esquina não tem o mesmo compromisso que o fabricante de devolver seu equipamento em perfeitas condições de uso.

Após a inclusão, por parte do SNDC, do celular na lista dos produtos essenciais, o prazo para troca, devolução do dinheiro ou substituição do aparelho passou a ser imediato, e não de 30 dias como os demais produtos. Porém, a garantia desses aparelhos não costuma ser maior que três meses.

Seguro para celular

Se você investiu uma pequena fortuna em um aparelho de última geração, a atitude mais prudente é cuidar bem para prolongar a vida útil do produto e proteger seu bem. Nesse caso, o seguro é uma boa opção.

Em parceria com a seguradora Zurich, a Vivo oferece o Seguro Proteção Celular. O serviço oferece proteção contra roubo ou furto qualificado de aparelho celular, modem 3G ou tablet.

> Proteção Celular: Conheça o seguro contra roubo e furto do aparelho

Este artigo lhe fez lembrar de alguém? Compartilhe!

vale a pena comprar celular muito barato
Homem comunica bloqueio de celular roubado
Homem comunica IMEI bloqueado
Digno Rafre é celular à prova d'água
Smartphone para crianças da Positivo
Mulher com iPhone bloqueado