Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Ouro e prata são boas opções de investimento?

A- A+

O mercado de investimentos atual é bastante diverso. A depender do perfil do investidor e da quantidade de capital a ser investida, as opções são muitas. Uma delas é o investimento em metais preciosos, mais precisamente em ouro e prata.

A prática de se investir em ouro e prata ainda não é tão difundida no Brasil quanto em outros países, mas ela pode ser uma boa opção para quem quer bons retornos e tem conhecimento do mercado de metais preciosos.

Mas, como o preço dos metais preciosos tende a flutuar bastante ao longo do tempo, para se investir em ouro e prata é preciso que o investidor faça uma análise da economia atual e do mercado de metais antes de optar por esse tipo de investimento.

ouro-e-prata

A prata é um metal mais acessível, mas é mais propenso a flutuações de preço. Foto: iStock, by Getty Images

A opção pode ser vantajosa. Em tempos de crise e incerteza econômica, o valor dos metais preciosos tende a subir. De acordo com especialistas, investir em ouro e prata é ainda uma ótima cobertura contra a inflação, já que os preços dos metais preciosos sobem quando a inflação aumenta.

Formas para investir em ouro e prata

Existem duas formas básicas para se investir em ouro e prata, cada uma delas com objetivos diferentes. A primeira é o investimento no metal físico. A partir da compra de moedas, barras ou joias feitas com os metais preciosos, o investidor pode se proteger da inflação.

Para quem quer investir pensando em lucros acima da inflação, a melhor forma é realizar trades com os investimentos de ouro e prata. Nesse caso, os investidores optam pelos fundos eletrônicos (ETFs) dos metais preciosos ou em ações de companhias mineradoras.

Os fundos eletrônicos possuem em sua composição direito a barras dos metais preciosos que permanecem estocados em cofres. Cada ação de ETF representa então uma quantidade de metal, seja em onça (oz) ou grama (gr).

Ouro ou prata?

Para quem quer investir em metais preciosos, uma boa opção é se dividir entre ouro e prata, aproveitando as vantagens de cada um e minimizando riscos. O ouro, por exemplo, é mais estável e mais caro, pesando mais no bolso do investidor. Em compensação, possui menor risco, mesmo contabilizando queda nos últimos dois anos.

A prata é um metal mais acessível, mas é mais propenso a flutuações de preço, sendo mais suscetível a especulações do que o ouro. Mesmo assim, em virtude do seu maior potencial de crescimento, graças ao seu pesado uso industrial, o metal tem conquistado espaço entre os investidores.

Cuidados no investimento de ouro e prata

Mas investir em metais preciosos também requer cuidados. Um deles é em relação à liquidez dos metais preciosos, já que são considerados investimentos a longo prazo.

Outro motivo de atenção para se investir em ouro e prata é em relação às oscilações diárias do mercado. Depois de mais de dez anos de alta, desde 2013 os metais sofreram quedas em seus preços. Os motivos vão desde o fluxo e refluxo da demanda de outros investimentos, como ações em Bolsa de Valores, por exemplo, até o ritmo de crescimento ou desaceleração econômica.

Quem opta pelo investimento no metal físico ainda precisa ter cautela com a acomodação e armazenamento do ouro e da prata, o que demanda custos.

Este artigo lhe fez lembrar de alguém? Compartilhe!

quando vale a pena comprar título de capitalização
oscilações da Bolsa de Valores
investir para viajar
agência de classificação de risco
investimento para quem tem ate R$ 10 mil
investir em imóveis