Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Orçamento: Início de ano é o momento ideal para controlá-lo

A- A+

O ano recém-iniciado pode ser a oportunidade perfeita para quem deseja organizar as contas de casa e sair do vermelho. Deixe o passado de gastos descontrolados para trás e inicie o processo de detalhamento do seu orçamento o quanto antes. Com algumas orientações simples, a tarefa fica mais fácil do que parece.

Segundo o professor do Instituto de Economia (IE) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Nelson Chalfun Homsy, a indisciplina é principal responsável pelo endividamento. “Em primeiro lugar, a indisciplina generalizada é o maior inimigo das finanças da família brasileira. As pessoas querem fazer tudo sem qualquer atenção às regras de comportamento. O aspecto financeiro é apenas um desses fenômenos”, explica Homsy.

orcamento

A falta de disciplina financeira é a maior inimiga das finanças da família. Foto: iStock, Getty Images

Para controlar o orçamento, Décio Kimura, fundador do Minhas Economias, tem um passo a passo na ponta da língua. “Anote todos os seus gastos e também as suas receitas. E faça um bom controle financeiro. Depois, estabeleça quais gastos são essenciais e quais são supérfluos. E corte todos os supérfluos!”, ensina ele.

Controle do orçamento exige engajamento familiar

Controlar os gastos não é uma exclusividade de quem está no vermelho: sem monitoramento e disciplina, é impossível atingir o seu objetivo, seja ele qual for.

O controle do orçamento familiar não é tão simples para ser implantado, pois precisa conciliar interesses e percepções distintas sobre a importância de cortar os gastos. O ideal é decidir os principais objetivos da família em conjunto, no curto, médio e longo prazo.

Conforme Jair Abreu, professor de Economia da Estácio, “é preciso definir o que a família pretende realizar no próximo ano e nos próximos três ou cinco anos. Isso permite criar uma ideia sobre os sonhos da família como um todo”, orienta Abreu.

Planilhas ajudam no orçamento

Para organizar as finanças, o uso de planilhas é sempre bem-vindo. E não é preciso ter familiaridade com softwares financeiros: existem muitos sites especializados em finanças que disponibilizam gratuitamente ferramentas para ajudá-lo a montar o orçamento.

A partir daí, é hora de monitorar as finanças no dia a dia. “Devem ser registrados os gastos realizados por cada membro da família e, a partir desse ponto, acompanhar com muito rigor o movimento de entradas e saídas de dinheiro. Essa planilha de controle refletirá as oscilações positivas e negativas do orçamento da família, que deverá identificar todos os desembolsos tidos como supérfluos visando a eliminá-los imediatamente”, ensina Abreu.

Por fim, é preciso ter disciplina para conter os gastos: antes de efetuar uma compra, avalie se o produto realmente é necessário. Essa análise costuma fazer a diferença e pode ajudar a evitar atos típicos do consumismo.

Animais de estimação devem fazer parte do orçamento

Em uma previsão de custos generalista, é possível esquecer os gastos com os PETs: em alguns casos, o valor mensal destinado aos animais de estimação pode parecer irrelevante e ter sua importância negligenciada.

Até aí, nenhum problema. Mas basta surgirem as primeiras emergências para a situação sair do controle. Se não for previsto, o valor pago com consultas veterinárias e remédios pode representar uma diferença significativa no final do mês.

Uma alternativa para quem deseja garantir que os animais de estimação receberão o melhor tratamento possível é a contratação de serviços de seguro específicos. Se você considera os PETs parte da família, pode valer a pena analisar as vantagens oferecidas.

Tem dicas para controlar o orçamento? Comente!

quanto custa um seguro de vida
lareira em apartamento
empresa familiar
parcelar festa de casamento
parcelar viagens no cartão de crédito
Casal discute partilha de dívidas no divórcio