Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

O que levar em consideração na hora de fazer matrículas escolares

A- A+

Com 2016 batendo à porta, é normal que as famílias já estejam preparando o planejamento financeiro para o ano que vem. E fazer matrículas escolares é uma das principais preocupações, já que envolve uma equação de difícil solução: a importância da educação dos filhos dividida pelo custo elevado do ensino.

Fazer matrículas escolares é uma das principais preocupações de pais.

Além da preocupação financeira, pais devem optar por escola que atenda às necessidades. Foto: Shutterstock

Como fazer matrículas com tranquilidade

Conforme o Censo Escolar de Educação Básica 2014, realizado pela Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), até o ano passado, havia 9 milhões de alunos matriculados em escolas privadas, o que representa 18,3% dos estudantes do ensino básico e médio.

Veja dez dicas básicas para não errar ao fazer a matrícula do seu filho:

Informação

Conforme o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), em até 45 dias antes do prazo final para a matrícula, a instituição de ensino deve fornecer a proposta do contrato, com o valor da mensalidade e o número de vagas por classe.

Controle financeiro

Antes de dar sequência às matrículas (ou rematrículas) é importante avaliar a situação da família. Caso não haja reserva financeira, é necessário repensar se há como manter os filhos na atual escola.

Prazos

O valor referente às anuidades ou semestralidades deve ser estipulado no ato da matrícula. A taxa para a reserva de matrícula pode ser cobrada, desde que integre o valor da anuidade ou semestralidade. Assim, a escola não pode cobrar anuidade e taxa de matrícula, conforme o Idec.

Despesas extras

Quando for calcular as despesas com instrução, não se deve levar em conta apenas as mensalidades. É preciso considerar também o transporte, lanches, uniformes, material escolar, livros didáticos e eventuais passeios.

Conteúdo

Tanto para manter o filho na escola quanto para procurar outra instituição de ensino, é necessário avaliar os diferenciais oferecidos. Oficinas, currículo bilíngue, educação financeira, música e qualquer outro diferencial é importante.

Aproveitamento da criança

Embora seja um investimento e tanto no futuro de seu filho, é importante avaliar não apenas o que a escola oferece, mas se o aluno gosta e se sente bem no ambiente escolar. Isso pode interferir diretamente em seu desempenho.

Mais de um filho

Muitas escolas oferecem descontos para famílias com mais de uma criança matriculada. Se esse é o seu caso, aproveite!

Bolsa

Caso você não tenha condições de prosseguir com os pagamentos da escola no ano seguinte, mas percebe que seu filho tem um excelente aproveitamento, é interessante tentar conseguir algum tipo de bolsa. Para isso, estabeleça um diálogo franco com a escola e explique que, no momento, não poderia pagar o valor integral da mensalidade.

Fiador

Conforme o Idec, a solicitação de fiador por parte da escola é uma prática abusiva. Segundo a entidade, o ensino é um direito de todos. E isso vale também para a educação privada.

Custo e reajuste

O custo do ensino deve ser dividido em seis ou em 12 parcelas. Além disso, conforme o Idec, é proibido o reajuste antes de completar um ano de assinatura de contrato.

Você vai se interessar por:

Suas contas em dia

Para manter os pagamentos e as finanças em dia, que tal usar o Vivo Zuum? Trata-se de uma conta corrente inteiramente gerenciável pelo seu smartphone. Com ela, você pode pagar boletos, fazer transferências e até recargas de celular. Se preferir adquirir um Cartão Vivo Zuum, ainda pode realizar saques e compras no débito.

> Vivo Zuum: Tenha conta corrente com cartão, sem banco, sem complicação

Se você tem outras dicas para a hora de fazer matrículas, registre nos comentários!

Pokémon Go
como lucrar vendendo artesanato
como lucrar vendendo cosméticos
como abrir uma academia de ginástica
como abrir uma pizzaria
como montar uma drograria