Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Novas metas para 2016: ainda dá tempo de se planejar

A- A+

Todo ano que se inicia costuma vir acompanhado de promessas, simpatias e novas metas. Algumas, conseguimos realizar. Outras, não. Mas ter os objetivos por escrito servem como um balizador para direcionar nossas ações ao longo do ano. E muitas delas estão relacionadas às finanças.

Uma pesquisa realizada pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) apontou que a maioria dos entrevistados (equivalente a 37% do total) tem como principal meta pagar as contas e sair do vermelho. Já 34,3% pretendem iniciar atividades físicas e 27,5%, perder peso.

Se você ainda não estabeleceu as suas novas metas para 2016, não perca tempo. Janeiro está chegando ao fim, mas ainda dá tempo de se planejar para chegar ao final do ano com seus objetivos principais alcançados.

É hora de decidir novas metas para 2016

Melhor organização financeira está entre os objetivos dos brasileiros para 2016. Foto: Shutterstock

Novas metas financeiras para 2016

Se pagar as contas não está tão fácil a ponto de se tornar uma meta, que tal rever as duas finanças e criar diverso objetivos para ficar com a conta bancária em dia? Veja seis sugestões para se organizar e ficar de bem com os números.

Crie uma planilha

A planilha de gastos está no “pacote básico” da educação financeira. É preciso saber o que se ganha, o que se gasta e adequar suas contas ao orçamento disponível. Fora as contas fixas, também é preciso registrar todos os pequenos gastos do dia a dia – ao menos durante alguns meses. É a única forma de encontrar o “ralo” do seu dinheiro.

Corte custos

Se está achando complicado pagar as contas, deve estar gastando mais que o seu salário permite. Visualizando a sua planilha, fica mais fácil enxergar o que consome mais e cortar gastos. Reflita sobre seu estilo de vida e avalie se realmente precisa de alguns itens como TV a cabo, assinaturas de revistas ou roupas novas todos os meses.

Converse com a família

Além dos custos que podem ser eliminados, há outros que podem ser reduzidos, como energia elétrica, água, combustível e até mesmo no supermercado. É importante conversar com todos os membros da família – inclusive crianças – para conseguir a colaboração de todos.

Pesquise preços

Por que pagar uma tarifa excessiva por um serviço se o concorrente tem valores bem melhores? O mesmo vale para o supermercado, para as roupas e para o material escolar. Com o atual cenário econômico, é interessante que o consumidor não se guie por marcas.

O preço não deve ser o único fator determinante, claro, mas é fundamental abrir as portas para novas possibilidades de compra.

Renegocie dívidas

Assim que conseguir visualizar todo o seu orçamento e cortar gastos, é hora de renegociar com os credores. Estude o valor das parcelas que pode pagar e procure cada um deles. Esta também é uma forma de limpar seu nome. Se puder pagar à vista, melhor. As chances de conseguir bons descontos são muitas.

Aposte no e-commerce

Reduzir custos não significa que você não comprará mais nada. Muitos bens podem ser necessários. Neste caso, faça uma pesquisa nas lojas virtuais confiáveis. Você pode se surpreender com a diferença de preços em relação às lojas físicas.

Você vai se interessar por:

Organize suas finanças

Para aprender a controlar as contas do lar, é preciso ouvir quem sabe. Se você quer usar o seu dinheiro de um jeito mais inteligente, conheça o Vivo Finanças Pessoais. Com ele, você recebe mensagens e participa de jogos que lhe ajudam a controlar seus gastos, poupar e investir. E você ainda participa de sorteios diários.

> Vivo Finanças Pessoais: Receba dicas por SMS e concorra a R$ 2.500 todos os dias

E você, já tem novas metas financeiras para 2016? Comente!

Dicas para quem pensa em vender bens para pagar dívidas
seudinheiro-Compras-de-supermercado
sair da casa dos pais
sonho de consumo
app para gastos pessoais
juros cobrados no cartão de crédito