Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Notas do Tesouro Nacional: entenda a diferença entre NTN-F e NTN-B

A- A+

Qualquer pessoa que se preocupe com o seu futuro, seja para os próximos anos ou em longo prazo, precisa planejar bem o que faz com o seu dinheiro. Com uma inflação de mais de 10% ao ano (de acordo com o IPCA acumulado dos últimos 12 meses), deixar as economias apenas na poupança não é o suficiente. Nesse contexto, as notas do Tesouro Nacional (NTN) surgem como boa alternativa.

Elas podem ser adquiridas por meio do Tesouro Direto, um programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a BMF&Bovespa, que possibilita a qualquer pessoa física comprar títulos públicos federais pela internet. Entre as notas do Tesouro Nacional, estão a NTN-F e a NTN-B, cada uma com suas particularidades e regras.

Investidor em Notas do Tesouro Nacional

Tanto a NTN-F quanto a NTN-B atualmente rendem mais do que a poupança. Foto: iStock, Getty Images

Qual a diferença entre as notas do Tesouro Nacional?

A diferença fundamental entre a NTN-F e a NTN-B é que o primeiro tipo tem rendimentos prefixados e o segundo pós-fixado. Se não está claro, explicamos melhor abaixo.

NTN-F

Com as notas do Tesouro Nacional prefixadas, você saberá, na hora da compra, exatamente quanto vai receber de rendimento. O investidor receberá R$ 1.000,00 por cada título, que é adquirido por uma fração desse valor. O rendimento é, portanto, a diferença entre o valor recebido no final (o chamado valor de face) e o que foi pago no momento da compra.

A particularidade da NTN-F na comparação com outros títulos prefixados do Tesouro Nacional é que ela paga os juros semestralmente. Ou seja, não é necessário esperar até o vencimento do papel para receber a renda da aplicação.

NTN-B

A NTN-B é considerada um título pós-fixado porque uma das partes do rendimento que incide sobre o investimento é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), ou seja, o índice flutuante da inflação. A outra parte é uma taxa de juros prefixada. Ou seja, você estará protegido contra um possível aumento vertical da inflação e terá lucro garantido.

Há duas opções de NTN-B: a pura e a principal. A diferença entre elas é muito simples. Enquanto a primeira paga cupons semestrais de juros, sendo uma fonte complementar de renda, na segunda, o rendimento só pode ser resgatado na data do vencimento, sendo ideal para quem procura um investimento em longo prazo.

Qual nota escolher?

Como o rendimento da NTN-F vai depender do preço que você pagou pelo título no dia da operação, que é um valor flutuante, e o da NTN-B vai depender do IPCA, não é possível responder qual das duas terá o melhor rendimento nos próximos anos.

Para tomar a decisão, você precisa intuir qual a tendência de flutuação do IPCA na comparação com a inflação implícita até o vencimento do título. Mas o que isso quer dizer? Vamos a um exemplo:

  • Imagine que o rendimento anual de uma NTN-F comprada hoje seja de 12,5% ao ano e a taxa de juros prefixada da NTN-B seja de 5%.
  • Para que o rendimento das duas seja igual, a inflação implícita seria de 7,5% (12,5 menos 5).
  • Nesse exemplo, se o IPCA se mantiver maior do que 7,5% ao ano (o que é o caso no momento), a NTN-B será a nota com o melhor rendimento.

Você vai se interessar por:

Segurança para você e sua família

Mais do que fazer bons investimentos, manter a segurança da sua família é a melhor decisão financeira. Com o Seguro de Vida Plus, você protege seus beneficiários em caso de morte e morte acidental e ainda conta com auxílio funeral. Entre em contato com Central de Relacionamento – Parceria Seguros Vivo e contrate o seu.

> Seguros para Você: Conheça seguros de vida e acidentes pessoais

Gostou das nossas dicas sobre as notas do Tesouro Nacional? Então, compartilhe o artigo nas redes sociais. Se você ficou com alguma dúvida, deixe um comentário.

O controle financeiro pessoal e o futebol
quando vale a pena comprar título de capitalização
oscilações da Bolsa de Valores
investir para viajar
agência de classificação de risco
investimento para quem tem ate R$ 10 mil