Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Microsseguros levam proteção para brasileiros de baixa renda

A- A+

Você já ouviu falar dos microsseguros? Regulamentados em 2012 pelo Conselho Nacional de Seguro Privado (CNSP) e Superintendencia de Seguro Privado (Susep), são uma modalidade de proteção pessoal, com mensalidades mais baratas e destinados aos consumidores de baixa renda.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Corretores de Seguros no Estado de São Paulo (Sincor-SP), Boris Ber, os microsseguros representam a porta de entrada para as pessoas começarem a entender o que é um seguro.

“Hoje, o seguro está acoplado à conta de luz, ao financiamento, entre outros serviços, mas não se tem especificamente para classes menos favorecidas. Acreditamos que é apenas o começo”, explica.

Como o principal público-alvo são os consumidores de baixa renda, há coberturas sob medida para amparar e minimizar perdas econômicas em situações que atinjam o orçamento doméstico.

Os microsseguros são destinados à classe de baixa renda.

Mensalidades com valores mais baixos dão alívio ao bolso do segurado. Foto: iStock, Getty Images

Principais coberturas dos microsseguros

Entre os microseguros mais comuns, estão as proteções de vida, de acidentes pessoais, de assistência funerária e prestamista (que garante pagamento de parcelas/dívidas em caso de desemprego).

Segundo a corretora de seguros Joana D’arc Oliveira, nesses casos, a indenização por parte da seguradora protege o segurado ou familiares conforme as condições contratadas.

“É fundamental que o segurado se utilize de instituições e profissionais habilitados para garantir essa indenização. Além disso, as cláusulas contratuais devem ser definidas de forma clara e compreendidas pelo segurado no momento da contratação”, aconselha.

Apesar de existirem tipos mais comuns de microsseguros, Ber acredita que o mercado deve desenvolver mais produtos adaptados às necessidades dos brasileiros de baixa renda, uma vez que o país possui uma grande parcela da população pertencente a essas classes sociais.

A opinião do especialista vai ao encontro do exposto pela Susep, que indica que a identificação dos quatro produtos não deve constituir um limitador, mas um incentivo à criação de novos mercados dentro dos microsseguros.

Dois dos quatro produtos (assistência funerária e prestamista) tiveram, respectivamente, crescimento de 15,31% e 14,05% no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2014.

Normativas da Susep a respeito dos microsseguros

Para facilitar o acesso da população de baixa renda aos microsseguros, a Susep estabeleceu algumas normativas. Entre elas, está o prazo mínimo de vigência das coberturas, que é de um mês.

Além disso, o valor das coberturas nas apólices, para que o produto seja caracterizado como microsseguro, foi estipulado da seguinte forma: para seguro de vida em R$ 24 mil e reembolso de despesas com funeral em R$ 4 mil.

A regulamentação ainda permite uso de celular na venda de seguros e a inclusão de sorteios pela capitalização.

Você vai se interessar por:

Seguro de vida ou acidente pessoal? Entenda a diferença

Seguro Premiado Vivo: proteja sua família e concorra a prêmios

Saiba como funciona o seguro de acidentes pessoais

Segurança para os seus bens

Agora que já sabe tudo sobre os microsseguros, o que você achar de garantir, também, a proteção dos bens que carrega? Com o Vivo Seguro Bolsa Protegida garante ao segurado uma rápida indenização em caso de roubo ou furto qualificado de bolsa ou pasta.

Ele tem carência de 30 dias e o segurado pode acioná-lo duas vezes por ano. Os custos do seguro são baixos. Com uma média de R$ 5 mensais, você já pode contratar um seguro que cobre até R$ 1 mil pelos pertences levados.

> Seguros para seus bens: Proteção da sua bolsa ou mochila

Gostou de conhecer sobre microsseguros? Cadastre-se e receba a nossa newsletter.

O controle financeiro pessoal e o futebol
Ela aposta na longevidade saudável
Comprar casas em Orlando é opção
Conversando sobre direitos do consumidor do plano de saúde
Pacientes com mais de 60 anos têm direito a acompanhante em caso de internação. Foto: iStock, Getty Images
Como é morar no campo