Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Medo de sair na rua é mais comum entre os brasileiros

A- A+

A insegurança parece ser o principal sentimento para descrever como os brasileiros se sentem ao caminharem sozinhos à noite. Ao menos é o que revela pesquisa divulgada em outubro pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). O medo de sair na rua é tanto por aqui que coloca o Brasil no topo da lista. Será que essa insegurança se dá pela frequência intensa de roubos e furtos em algumas regiões mais do que outras?  Fato é que são situações que geram desconforto e que podem trazer prejuízos financeiros para qualquer pessoa, mas não é só isso. Confira o que diz a pesquisa:

Medo de sair na rua: Brasil e Rússia lideram entre 34 países

De acordo com a pesquisa How’s Life?, que compara dados dos 34 países que fazem parte da OCDE, além de Brasil e Rússia, os brasileiros são os que mais relatam ter medo de sair na rua durante a parte da noite.

Os números revelam que menos de 40% dos entrevistados dizem se sentir seguros quanto estão expostos a essa situação. Em contrapartida, o dado sobe para 80% na Noruega, país em que os moradores demonstraram o maior nível de confiabilidade em caminhar à noite.

O medo de sair na rua é tanto por aqui que coloca o Brasil no topo da lista.

Brasileiros são os que mais relatam ter medo de sair na rua durante a noite. Foto: Valdecir Galor, SMCS

Violência ajuda a explicar medo de sair na rua

Outro número divulgado pela pesquisa ajuda a entender o medo revelado pelos brasileiros. Quando o assunto é a violência, o país também apresenta dados que chamam a atenção.

Na comparação com os outros 35 países que fizeram parte do estudo, o Brasil revela os mais altos índices de mortes por agressão. Enquanto a taxa nacional é de 25,5 homicídios por 100 mil habitantes, a médica da OCDE é de quatro por 100 mil habitantes.

Mesmo assim, os brasileiros até demonstram certo contentamento, conforme apurou a pesquisa. Em uma escala de 0 a 10, deram nota sete para a satisfação geral com a vida que levam atualmente.

Ainda segundo os dados divulgados pela OCDE, a maioria dos homicídios por agressão estão relacionados aos homens: a taxa é de 48,1, contra 4,4 registrados entre as mulheres.

Violência sexual motiva projeto

Por outro lado, é entre as mulheres que está presente a maior sensação de insegurança. O principal motivo é o medo da violência sexual, uma realidade no Brasil – mas não apenas por aqui.

Não é à toa que o projeto Vamos Juntas?, criado no mês de julho pela jornalista Babi Souza, tem feito tanto sucesso. O objetivo é simples: reunir mulheres que costumam percorrer os mesmos caminhos, mas que não se conhecem.

A página no Facebook já conta com mais de 200 mil curtidas. Além de reunir textos sobre empoderamento feminino, ela também traz relatos de mulheres, que contam como encontraram em desconhecidas uma companhia que garantisse mais segurança enquanto caminhavam.

Você vai se interessar por:

Segurança para os seus bens

Quando a ideia é aumentar a sua segurança, todos os cuidados são sempre bem-vindos, mas a melhor maneira de garantir a proteção dos seus bens é por meio de um seguro.

Com o Seguro Proteção Urbana – Bolsa Protegida, você recebe uma indenização para o seu acessório, bem como para os objetos nele contido, em caso de roubo ou furto qualificado. Nessa categoria, estão incluídas bolsas femininas, maletas, pastas ou mochilas.

Você ainda conta com a comodidade e segurança de pagar seu seguro mensalmente através de sua fatura de celular Vivo.

> Seguros para seus bens: Proteção da sua casa até sua bolsa, mochila e carteira

E você: também tem medo de sair na rua? Conte a sua história!

Comprar casas em Orlando é opção
Como é morar no campo
Trabalhando na reforma de casas antigas
Como escolher corretora para Tesouro Direto
Uso de LED no projeto de iluminação residencial
Reaproveitamento da água do chuveiro