Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Lowsumerism: em tempos de crise, ordem é não comprar por impulso

A- A+

Você já parou para pensar se alguma vez comprou algo que não precisava porque estava em promoção ou até comprou dois itens em vez de um só? Para ajudar nessas e muitas outras reflexões sobre o equilíbrio financeiro, surgiu o lowsumerism, que propõe uma discussão não apenas sobre a preservação do nosso bolso, mas até mesmo da cultura em que vivemos.

Mulher colocando em prática medidas de lowsumerism.

Ocupar a mente com atividades ao ar livre é dica para vencer o consumismo. Foto: Shutterstock

O que é o lowsumerism

Ao contrário do consumismo desenfreado, o termo lowsumerism (do inglês, em contraponto ao termo consumerism) propõe uma discussão sobre o melhor aproveitamento do dinheiro e um possível rebaixamento das compras na ordem de prioridades das pessoas.

A importância de um movimento como esse está representada em uma pesquisa recente do SPC Brasil: 41% dos brasileiros que compram por impulso estão inadimplentes.

Além de buscar uma economia mais equânime e harmônica, o lowsumerism busca o compartilhamento e o consumo colaborativo. Assim, a ideia é que certos bens circulem por mais pessoas e beneficiem um número maior de consumidores antes do descarte.

De acordo com a pesquisa do SPC Brasil, alimentos e bebidas estão entre os produtos mais adquiridos por impulso, pelo valor mais baixo, e as promoções e preços atrativos influenciam na hora de sair do planejamento. Depois deles, vêm os celulares, computadores e tablets.

De acordo com a psicóloga e orientadora do comportamento financeiro Patrícia de Rezende, essa impulsividade acontece muito com quem passa por momentos de angústia ou ansiedade. “É importante saber se a pessoa tem esse perfil de comprador compulsivo, e constatar esse fato para tratar”, recomenda.

Você vai se interessar por:

5 dicas para evitar compras por impulso

Evitar a compra por impulso nem sempre é tarefa fácil. “É preciso entender que essas pessoas podem estar sob forte emoção, tristes, ansiosas, angustiadas e compram para preencher esse espaço, para desviar sua atenção de algo que incomoda”, explica a especialista.

Confira cinco dicas para embarcar no lowsumerism:

1. Dinheiro contado

Saia de casa apenas com o valor aproximado em dinheiro. Quem tem tendência a comprar por impulso ou vive um momento tenso deve deixar cartões e cheques em casa, por não saber fazer uso consciente das ferramentas.

2. Faça uma lista

A relação das compras ajuda a manter o foco, portanto, anote tudo o que precisa antes de sair de casa e siga à risca.

3. Ocupe sua mente

Em vez de passar momentos de ócio no shopping, busque atividades ao ar livre, como caminhadas, piqueniques e atividades físicas.

4. Evite o apelo ao consumo

Não vá a locais com muito apelo se não for necessário, especialmente se estiver sensível ou com mais dinheiro e cartões.

5. Faça perguntas

Questione: essa compra é realmente necessária? Ela não poderia ser feita depois? O que muda de fato na sua vida se você não realizar essa compra? E, por fim, quais são os benefícios dessa aquisição em curto, médio e longo prazo?

Seguindo a lógica do lowsumerism, você poderia ainda conversar com amigos para realizar trocas. Livros são um belo exemplo de item que pode ser trocado, desde que você pratique um pouquinho de desapego..

 

Gostou das dicas para deixar o impulso de lado e praticar um pouquinho do lowsumerism? Compartilhe!

vale a pena economizar
como aprender com erros de finanças
inteligência financeira para vencer na vida
melhor forma de economizar
como lidar com a ganância
sair da crise