Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Leilão de veículos: conheça cuidados para fazer um bom negócio

A- A+

O leilão de veículos é uma oportunidade para quem deseja trocar de carro sem gastar muito. Com preços bem abaixo do mercado, a alienação de automóveis é buscada por quem gosta de uma pechincha.

No entanto, alguns cuidados precisam ser adotados para que você não acabe gastando mais do que com um modelo novo. Conheça os principais leilões e dicas para fazer um bom negócio.

Leilão de carros

Com os devidos cuidados, leilão é oportunidade de adquirir veículos pagando pouco. Foto: Shutterstock

Leilão de veículos em 4 modalidades

Seja por penhora, para diminuir prejuízos, por falta de pagamentos ou para renovar a frota, o leilão de veículos, desde que tomados os devidos cuidados, pode ser uma oportunidade de conseguir um carro ou moto em bom estado e com preço mais em conta.

Conheça as quatro principais modalidades de leilões:

Leilões judiciais

Essa modalidade acontece quando os veículos são penhorados pela Justiça para execução de penas. Por exemplo, alguém que não pagou o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e o carro foi apreendido pela polícia para ser leiloado e a dívida quitada com o governo.

Leilões de seguradoras

Leilão referente aos veículos que sofreram um sinistro (choque, quebra, prejuízo material) e que a seguradora está vendendo para repor parte do dinheiro que ela pagou ao segurado.

Leilões de bancos e financeiras

Casos em que os veículos foram financiados, mas o comprador não conseguiu pagar o empréstimo e entregou o carro à instituição financeira como parte da garantia.

Leilões de empresas

Esse tipo de leilão acontece quando as revendedoras querem substituir sua frota antiga por veículos novos. Nesses casos, a empresa leiloa os modelos antigos por um preço mais baixo que o mercado para se desfazer mais rapidamente.

Você vai se interessar por:

Leilão de imóveis pode esconder armadilhas ao comprador

Vale a pena comprar carros com dívidas para assumir?

Queda nos preços de carros usados aquece o mercado

4 dicas do Idec para o leilão de veículos

Independentemente da modalidade escolhida, é preciso adotar alguns cuidados para fazer com que a compra em um leilão de veículos seja, de fato, vantajosa. Pensando nisso, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) elaborou quatro dicas para que você ir bem preparado na hora de adquirir seu carro “novo”.

1. Planeje seus lances

Em primeiro lugar, antes de começar a dar os lances, você precisa ter dinheiro já reservado, pois a compra deve ser feita à vista. Além disso, é importante também não se ater somente ao valor do veículo, pois geralmente são cobradas outras taxas.

O Idec ressalta que o consumidor não deverá pagar por outros serviços, como taxas de reboque e diárias do depósito, por exemplo.

2. Considere os reparos

Outro custo que deve ser considerado antes da compra são os eventuais reparos que precisarem ser realizados. Em leilões de veículos de seguradoras, esse cuidado deve ser redobrado.

Você pode recorrer a um mecânico de sua confiança, que pode tentar verificar se vale a pena comprar o carro ou se o custo para consertá-lo não compensa.

3. Dívidas zeradas

No caso de leilões judiciais, por exemplo, o valor pelo qual o veículo foi arrematado deve ser utilizado pela organizadora do leilão para quitar qualquer débito existente. Ou seja, o automóvel deve chegar liberado de dívidas para o novo proprietário.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, o montante arrecadado no leilão deve servir para pagar as despesas da Administração Pública com o veículo (como a permanência no pátio) e os encargos legais, como tributos, taxas e multas.

4. Peça o seguro

Como foi visto, muitos carros que vão para leilão são resultado de sinistros. Mas essa não pode ser uma justificativa para recusar o seguro do veículo. “Segundo o Código de Defesa do Consumidor, se a seguradora se negar a fazer esse serviço, pode ser considerada prática abusiva”, explica o advogado do Idec, Guilherme Varella.

Para uma empresa se recusar a segurar um automóvel, ela precisa fazer primeiro uma vistoria técnica. Caso o seguro do veículo seja recusado, a empresa deverá apresentar justificativa plausível com os motivos que levaram à negativa.

O Idec destaca ainda que a seguradora não pode cobrar valores desproporcionais somente porque o carro é proveniente de um leilão.

 

Você tem uma boa dica sobre leilão de veículos? Deixe um comentário.

Comprar tablet
Mulher entende o que é carnê-leão
Comprar smart tv
micro-ondas ou forno elétrico
geladeira com freezer ou congelador
vale a pena comprar produtos da apple