Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

IPTU Goiânia: fique atento ao novo cálculo que reajusta o tributo

A- A+

Quem mora na capital de Goiás pode preparar o bolso para pagar o IPTU Goiânia em 2016. A diferença de valores em relação ao ano passado deve ser significativa – e nada positiva para quem está com o orçamento apertado.

A Prefeitura aprovou projeto que modifica o cálculo do imposto. Pela proposta, ela passa a considerar na cobrança do tributo o valor venal dos imóveis e não mais a sua localização, como ocorria até 2015. Além disso, está aplicando um reajuste progressivo, o que vai aumentar significativamente o custo final.

Moradores devem ficar atentos ao novo calculo do IPTU Goiânia.

Novo cálculo do IPTU em Goiânia vai aumentar em até 25% o imposto na capital. Foto: Shutterstock

O aumento do IPTU Goiânia

As novidades no IPTU Goiânia impactam o bolso, mas não podem ser consideradas como uma surpresa. Desde 2014, a Prefeitura iniciou um processo de reajuste e alterações na forma de avaliação dos imóveis e de cálculo do imposto.

Mas é mesmo agora em 2016 que o tributo chega à maior mudança desse período e vai custar bem mais para uma parcela significativa dos moradores da capital goiana.

No final de 2015, a Prefeitura criou uma nova forma de definição dos valores, que passa a valer para o IPTU de 2016. Com ela, os valores venais dos imóveis viraram base do cálculo, que antes levava em conta a localização.

Na prática, os imóveis de R$ 200 mil, por exemplo, pagam o mesmo imposto, estejam eles localizados em bairros nobres ou não.

A nova fórmula também permitiu a aplicação de um reajuste progressivo nos valores. Todos os imóveis de Goiânia sofrerão um reajuste de 10% no custo de seu imposto. Porém, alguns deles terão um acréscimo dado pela Prefeitura em função de sua valorização na Planta de Valores Imobiliários (PVI). Quanto mais valorizado, mais aumenta o imposto.

Confira como funciona o reajuste progressivo:

  • Os imóveis até R$ 200 mil, que constituem 78% do imobiliário de Goiânia, sofrerão um reajuste de 10%, referente à inflação apontada pelo IPCA
  • Aqueles que estão acima de R$ 200 mil e sofreram uma valorização de até 20% na PVI, terão um reajuste de 5%, além dos 10% da inflação, totalizando 15%
  • Os imóveis que custam mais de R$ 200 mil e foram valorizados entre 20% e 40% na PVI, sofrerão um reajuste de 10%, acrescido ainda dos 10% da inflação, totalizando 20%
  • Já as unidades que, além de valerem mais de R$ 200 mil, sofreram uma valorização de mais de 40%, pagarão 15% a mais no imposto, acrescido dos 10% da inflação, o que implica em um reajuste total de 25%.

Alíquotas são mantidas

As alíquotas utilizadas para calcular esse imposto são as mesmas desde 2014. À época, o mesmo projeto de lei que aprovou a nova planta, também chancelou uma complementação ao Código Tributário da cidade, que incide diretamente sobre os custos do IPTU Goiânia. Entenda quais são as porcentagens aplicadas.

Imóveis edificados de uso residencial

Valor venal Alíquota
Até R$50 mil 0,2%
Entre R$50 mil e R$100 mil 0,4%
Entre R$100 mil e R$800 mil 0,55%
Mais de R$800 mil 0,6%

Edificados de uso não-residencial e não edificados

Valor Venal Uso não-residencial Não edificado
Até R$100 mil 0,5% 0,7%
Acima de R$100 mil 0,5% 1%

Simule o IPTU Goiânia

As guias de pagamento do IPTU de Goiânia devem chegar às casas dos contribuintes nos próximos dias. Com isso, será possível realizar o pagamento antecipado e garantir 10% de desconto para quem pagar o imposto integral até o mês de fevereiro. Quem não antecipar, pode parcelar em até 10 vezes iguais.

Quem desejar descobrir antes qual o valor terá de pagar, a Prefeitura lançou um aplicativo que faz a simulação do custo do imposto, das possíveis parcelas e até do desconto. Ele pode ser acessado através do site IPTU Goiânia ou do app, disponível na Play Store e na App Store.

Você vai se interessar por:

Seguro para os seus bens

Se você tem um imóvel, uma boa dica é contratar uma proteção extra. Clientes Vivo podem contratar seguro residencial que garante, entre outras coberturas, amparo contra incêndio, raio e explosão. A apólice garante o pagamento de uma indenização, quando ocorrer danos à sua residência ou ao seu conteúdo.

O seguro ainda cobre prejuízos decorrentes de roubo ou furto qualificado, de problemas causados por danos elétricos e Responsabilidade Civil Familiar.

> Seguros para seus bens: Garanta proteção contra incêndio, raio, danos elétricos, roubo e furto

O que achou das novidades no IPTU Goiânia em 2016? Comente!

preço de imoveis começa a cair
como parcelar dívida ativa do IPVA
investir em imóveis
direitos do inquilino
composição da carga tributária
preços dos imóveis mais caros de SP