Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Investimentos de fundo referenciado: conheça as vantagens e os riscos

A- A+

A saída para aumentar o seu patrimônio e driblar a crise financeira atual pode estar ao alcance das suas mãos. Investir seu capital em aplicações com bom rendimento, por exemplo, é algo prático e muito eficaz. Entre as modalidades disponíveis, o fundo referenciado aparece como uma alternativa interessante.

Com rentabilidade atrelada a algum tipo de índice, a opção tem como uma de suas principais vantagens a possibilidade de aplicar em diversos ativos simultaneamente.

Investidor no fundo referenciado

Certificado de Depósito Interbancário é o índice mais utilizado como base do fundo. Foto: iStock, Getty Images

Fundo referenciado e sua rentabilidade

Também conhecido como Fundo DI, devido ao índice mais usado como base, o do Certificado de Depósito Interbancário, o fundo referenciado é um tipo de investimento que utiliza um balizador para pagar os seus rendimentos. Por ser o que mais se aproxima com os números da taxa Selic, o DI é um dos preferidos dos investidores.

Mas como será que funciona a sua rentabilidade? Usando o modelo mais comum do fundo, o coach financeiro Bruno Papi, fundador da empresa General Investidor, explica o seu funcionamento. “Digamos que um fundo referenciado DI rende 95% do CDI, o que significa dizer que o investidor receberá esse valor durante esse período específico”, diz Papi.

No entanto, também é preciso levar em conta os juros aplicados. “Caso sua taxa tenha ficado em 14% no ano, quem investiu no fundo referenciado DI de 95% do CDI – nesse exemplo hipotético – irá receber um valor bruto (sem desconto de impostos) de 13,3% naquele ano. Isso porque é calculado 95% de 14%, totalizando os 13,3% de rentabilidade”, completa.

Os riscos do fundo referenciado

A modalidade normalmente é classificada como renda fixa, no entanto, ela não é garantida pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) e, por isso, apresenta um risco moderado. Além disso, é preciso ainda analisar a composição do fundo referenciado, pois o importante é que ele alcance a rentabilidade prometida.

Para atingir esse objetivo, pode ser interessante ao gestor do fundo comprar títulos públicos ou certificados bancários com maior risco para fazer uma composição e manter o rendimento alto.

É bom lembrar também que existe um período mínimo para manter o dinheiro em fundos referenciados e, portanto, o risco de liquidez também existe. Ou seja, você pode não conseguir o seu dinheiro imediatamente após requisitar o saque do fundo.

A rentabilidade do fundo referenciado irá oscilar de acordo com o índice que ele utiliza para remuneração do seu dinheiro. Então, se ele render 100% do DI, por exemplo, você terá sua rentabilidade baseada totalmente no CDI ou taxa Selic.

Por outro lado, se for referenciado ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), outro balizador possível, você receberá uma porcentagem da inflação acordada no momento da aquisição do fundo, esclarece Papi.

Você vai se interessar por:

Segurança para você e sua família

Mais do que estar com suas finanças protegidas, manter a segurança da sua família é a melhor dica. Com o Seguro de Vida Plus, você protege seus beneficiários em caso de morte e morte acidental e ainda conta com auxílio funeral. Entre em contato com Central de Relacionamento – Parceria Seguros Vivo e contrate o seu.

> Seguros para Você: Conheça seguros de vida e acidentes pessoais

Este artigo foi útil para você? Compartilhe as suas dicas!

O controle financeiro pessoal e o futebol
como lucrar vendendo cosméticos
vale a pena usar roupas de marca
quando vale a pena comprar título de capitalização
esteira ou bicicleta ergométrica
dicas para comprar uma boa esteira