Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Imposto de Renda de profissional liberal: como declarar em 2016

A- A+

A Receita Federal alterou as regras do Imposto de Renda de profissional liberal. A partir deste ano, profissionais como médicos, psicólogos e advogados que atuam como pessoa física terão que identificar os clientes de cada um dos serviços prestados. Entenda, neste artigo, os motivos para a mudança, e descubra como fazer a declaração.

Mulher calcula Imposto de Renda de profissional liberal

Profissionais liberais agora devem informar o CPF de cada titular de pagamento. Foto: iStock, Getty Images

Mudanças no Imposto de Renda de profissional liberal

Até 2015, os profissionais liberais – médicos, odontólogos, fonaudiólogos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, advogados, psicólogos e psicanalistas – que recebem rendimentos de pessoas físicas, só precisavam declarar o valor de forma global, sem especificar quais eram os clientes.

Em 2016, isso mudou: agora, é necessário informar, por meio do CPF, os titulares do pagamento de cada um dos serviços prestados a partir de 1º de janeiro de 2015. A tarefa pode se tornar trabalhosa para quem tem muitos clientes, então, é recomendado começar o quanto antes.

A justificativa para essa medida, de acordo com a Receita Federal, é o alto número de contribuintes que ficam retidos na malha fina em virtude de pagamentos efetuados a profissionais de saúde. Em 2015, 20% das retenções tinham relação com despesas médicas. Com essa informação, o Fisco pretende reduzir os ruídos entre as declarações.

A outra mudança significativa fica por conta do procedimento de entrega da declaração. Até 2015, o contribuinte precisava verificar as pendências, gravar a declaração e, só então, transmiti-la. Em 2016, foi criado um botão Entrega da declaração, que centraliza as três funções para executá-las ao mesmo tempo.

Como fazer a declaração

Não perca tempo: o prazo para declarar o Imposto de Renda se encerra no dia 29 de abril. Por isso, se você é um profissional liberal e ainda não começou a preencher a declaração, é melhor se apressar: deixar tudo para última hora é um risco, principalmente quando surgem pendências.

Para declarar, você deve acessar o Programa Gerador de Declaração (PGD), disponível para download no site da Receita Federal. Outra alternativa é acessar o e-CAC, a página de serviços oferecida aos contribuintes, e realizar o preenchimento dos dados online. Nesse caso, não é necessário fazer o download do PGD.

A terceira possibilidade é recorrer ao m-IRPF, aplicativo da Receita Federal para declaração do IRPF via dispositivos móveis. O programa é compatível com aparelhos equipados com sistema operacional Android e iOS.

Se você ficou com alguma dúvida a respeito da declaração, a recomendação é buscar o apoio de profissionais especializados. Um contador de confiança terá toda a capacidade para declarar o imposto, caso você não tenha paciência ou habilidade para lidar com os tributos.

Você vai se interessar por:

Monitore e proteja seu CPF

Documento essencial para estar com a prestação de contas em dia com o Fisco, o CPF merece todos os cuidados. Para monitorar e proteger seu principal documento, você pode contar com o Vivo Alerta CPF.

Entre as suas funções, está o envio de um SMS ao cliente toda vez que ocorrer uma alteração no status do seu nome nas bases de dados da Serasa Experian, toda vez que uma empresa consultar o nome do cliente nessa base de dados e ainda quando o seu nome estiver prestes a ser negativado.

Além disso, o cliente recebe exclusivas dicas antifraude e pode visualizar o relatório completo sobre o seu CPF.

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

O que achou das novidades sobre o Imposto de Renda de profissional liberal? Comente!

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças