Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Graduado em Engenharia de Alimentos conta com mercado amplo

A- A+

Se o seu sonho é trabalhar na indústria alimentícia, diretamente no desenvolvimento de fórmulas e nas condições gerais do produto, é interessante saber mais sobre a faculdade de Engenharia de Alimentos. Afinal, essa pode ser sua vocação para uma carreira de sucesso.

Como cursar Engenharia de Alimentos

A boa notícia é que há excelentes cursos no país. É verdade que muitos classificados entre os melhores estão em universidades públicas, mas também nas instituições privadas há opções de alto nível.

Se essa for a sua escolha, é importante saber quanto terá que desembolsar. Como exemplo, na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), a mensalidade do primeiro semestre está em R$ 1.921,85. Ao todo, são dez semestres, sendo que o valor vaira um pouco conforme o período.

Profissionais de Engenharia de Alimentos

Engenheiro pode estabelecer regras de armazenamento e transporte de alimentos. Foto: iStock, Getty Images

A graduação é geralmente oferecida em cinco anos, sendo que os dois primeiros são dedicados às disciplinas consideradas básicas: matemática, química, físico-química, bioquímica e termodinâmica. Após esse período, iniciam as disciplinas técnicas, mais voltadas à produção e conservação de diferentes alimentos.

Para os estudantes que pretendem atuar futuramente na área de gerenciamento industrial, as disciplinas de administração e economia são essenciais. A realização de estágio é obrigatória para a conclusão do curso.

O que faz um engenheiro de alimentos

O graduado em Engenharia de Alimentos pode atuar em muitas operações relacionadas à industrialização de alimentos como, por exemplo, o desenvolvimento, a fabricação, a conservação, o armazenamento, o transporte e a comercialização.

Também cabe a esse profissional desenvolver tecnologias limpas e processos para o aproveitamento de resíduos industriais. Eles estão presentes nas indústrias de alimentos, bebidas, equipamentos, embalagens e aditivos.

Hoje em dia, a agroindústria e os laboratórios de prestação de serviços estão absorvendo grande parte dos profissionais de Engenharia de Alimentos disponíveis no mercado. Nesses setores, é possível encontrá-los desde a área de gestão de pessoas até o controle de qualidade.

Em uma fábrica de chocolates, por exemplo, o engenheiro de alimentos é o responsável por determinar os percentuais de todos os componentes do produto – como a gordura, o leite, o açúcar e o cacau. Em muitos casos, também é o responsável por verificar o valor nutricional dos alimentos.

Você vai se interessar por:

Conheça o mercado de trabalho

A formação em Engenharia de Alimentos possibilita ao profissional uma série de oportunidades no mercado de trabalho.

Mas no mapa das vagas, a região Sudeste é a que mais recruta esses profissionais. Já na região Centro-Oeste, também há demanda, mas geralmente voltadas à indústria de carne e soja. No Nordeste, por sua vez, os profissionais são bastante requisitados para o segmento de polpa de frutas.

Veja quais são as principais áreas de trabalho, segundo o Guia do Estudante:

  • Armazenamento e transporte: O bacharel em Engenharia de Alimentos pode estabelecer parâmetros de armazenamento e transporte, com o objetivo de oferecer garantia de qualidade do produto.
  • Automação de processos: Área onde de planejamento e implantação de linhas de produção automatizadas.
  • Consultoria: Desenvolvimento de produtos, layout de equipamentos e de plantas de produção – para a implementação de sistemas de controle da qualidade – são as principais funções do consultor.
  • Controle de qualidade: Trata-se da organização de métodos e sistemas de controle e garantia de qualidade das matérias-primas e dos produtos processados nas indústrias alimentícias. Também se pode coordenar análises laboratoriais.
  • Pesquisa e desenvolvimento: Cria e aperfeiçoa produtos, além de pesquisar matérias-primas, embalagens e tecnologias de produção.
  • Planejamento e projetos agroindustriais: Requer bastante conhecimento técnico sobre equipamentos e instalações industriais.
  • Produção: Desenvolve e aprimora processos de produção, por meio da seleção de máquinas e equipamentos fabris. Também envolve a implementação de métodos para aumentar a produtividade, reduzir custos e garantir a segurança no trabalho.
  • Vendas técnicas e marketing: Desenvolve aplicações visando à comercialização de matérias-primas, ingredientes, insumos e equipamentos.

 

E você, o que acha da ideia de cursar Engenharia de Alimentos? Comente e compartilhe as dicas!

Pokémon Go
como lucrar vendendo artesanato
como lucrar vendendo cosméticos
como abrir uma academia de ginástica
como abrir uma pizzaria
como montar uma drograria