Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Excesso de bagagem: quando vale a pena pagar a taxa

A- A+

Você comprou as passagens, reservou o hotel, conferiu toda a documentação necessária e então, pouco antes da viagem, ainda é preciso arrumar a mala. Entre roupas, calçados e outros pertences, a principal dor de cabeça é não ultrapassar o excesso de bagagem.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), nos voos nacionais cada passageiro, seja adulto ou criança, tem direito a carregar até 23 quilos de bagagem. Ela pode estar dividida em diferentes volumes, o importante é estar atento ao peso final. Quando ele é ultrapassado, há a cobrança de uma taxa adicional.

Pagamento por excesso de bagagem

No Brasil, a taxa adicional por excesso de bagagem costuma ser cobrada de duas maneiras diferentes: a partir de um valor fixo já determinado, que varia de um peso para outro, ou pelo pagamento de uma porcentagem do preço da sua passagem. A escolha depende da política adotada em cada companhia aérea. O mais comum entre as empresas é que se pague 0,5% da tarifa do trecho, a cada quilo em excesso de bagagem, para voos nacionais.

Para evitar ainda mais gastos, a dica de Altier Moulin, jornalista e blogueiro do Pé na Estrada, é preparar uma mala que contenha apenas o essencial. Para aqueles que gostam de fazer compras, menos itens ainda devem ser levados. Afinal, na volta o peso vai ser ainda maior.

Caso não seja possível conciliar os seus pertencentes antigos com as novas aquisições, especialmente quando há presentes e encomendas para toda a família, pagar pelo excesso de bagagem se torna a sua alternativa. Ou seja, economize na ida para garantir mais espaço para a volta.

Além disso, a editora do blog Viagem pelo Mundo, Deise de Oliveira, lembra que malas mais pesadas também significam dificuldade de locomoção. Com isso, você também paga mais caro pelo deslocamento, pois o táxi se torna sua principal opção dentro da cidade.

Para evitar problemas na volta, evite o excesso de bagagem e economize. Foto: iStock, Getty Images

Para evitar problemas na volta, evite o excesso de bagagem e economize. Foto: iStock, Getty Images

Além do excesso de bagagem

Para não ter problemas com as suas malas, nem só o excesso de peso deve receber a sua atenção. A bagagem de mão, por exemplo, deve respeitar um limite de dimensões. Segundo a Anac, a soma total do comprimento, largura e altura não pode ultrapassar o limite de 115 centímetros.

Também não é permitido o transporte de itens que possam cortar ou perfurar, como é o caso de tesouras de unha e canivetes. A sua bagagem de mão também não pode pesar mais do cinco quilos para que o transporte seja aceito. Caso ocorra algum problema em qualquer um dos itens transportados, a recomendação é procurar a empresa aérea ainda na sala de desembarque.

Gostou das dicas sobre excesso de bagagem? Compartilhe!

O controle financeiro pessoal e o futebol
Casal melhora as finanças pessoais
Comprar tablet
Mulher entende o que é carnê-leão
Comprar smart tv
Unrecognizable buying organic rice in store, blank label