Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Etiqueta: saiba como se portar em viagens internacionais

A- A+

Nada melhor do que aproveitar as férias para viajar e conhecer novos lugares. E na hora de entrar em contato com a cultura local, você sabe como se comportar? É comum que os turistas acabem cometendo uma gafe ou outra, mas conhecer algumas regras de etiqueta ajuda a evitar constrangimentos e torna a viagem ainda mais rica.

Para Karla Larissa, jornalista e travel blogger do Compartilhe Viagens, conhecer algumas leis de cada país e aprender a respeitar os seus costumes é a regra número um em viagens. Afinal, é você quem precisa se adaptar ao lugar de destino – e não o contrário.

Etiqueta durante as refeições

“Se for um país que fale uma língua que você não fala, é gentil tentar aprender pelo menos algumas palavras, como oiobrigada e desculpa“, lembra Karla.

Mas é na hora de das refeições que a maioria dos problemas costuma acontecer. Não são apenas os pratos típicos variam de um lugar para o outro, mas também a forma como eles são comidos. Os chineses e japoneses, por exemplo, não utilizam garfo e faca. Se nos restaurantes orientais que você encontra no Brasil é possível driblar essa regra, em uma viagem você não vai escapar dos hashis.

Já os franceses possuem um ritual específico para realizar as refeições principais, especialmente os jantares, que são servidos em cinco etapas. Primeiro vem a entrada, depois o prato principal, os queijos, a sobremesa e, por fim, o café. Se você for convidado para comer na casa de alguém, leve um queijo ou um vinho, mas não se ofereça para lavar a louça.

Nos países árabes, encontrar bebida alcoólica pode ser um problema. Proibida pelo islamismo, ela não faz parte dos hábitos de consumo da maior parte da população. O pão sem fermento, por outro lado, é a base de muitas refeições. Ao comê-lo, o ideal é partir os pedaços com as mãos, ao invés de utilizar uma faca. Assim você evita desrespeitar a cultura local.

Em países como a China e o Japão, o garfo e faca são deixados de lado e dão lugar aos hashis. Foto: iStock, Getty Images

Em países como a China e o Japão, o garfo e faca são deixados de lado e dão lugar aos hashis. Foto: iStock, Getty Images

O que a etiqueta diz sobre gorjetas

Para Altier Moulin, jornalista e blogueiro de viagens, a gorjeta é vista como um gesto de gratidão pelo serviço prestado, mas a regra varia de um país para o outro. Enquanto no Egito você pode ser considerado mal-educado por não a oferecer, na Austrália e na China a prática não é comum.

Nos Estados Unidos, oferecer esse valor extra é quase uma obrigatoriedade, de táxis a restaurantes. A taxa varia de um lugar para o outro, mas costuma ficar entre 10% e 20%.

Guia turístico ajuda a evitar o choque de etiquetas

Uma maneira de atenuar o choque cultural e um eventual constrangimento é recorrer a um guia de turismo local. Esse tipo de profissional pode orientar você em uma viagem ou um passeio. Normalmente, um guia tem mais recursos para escolher roteiros significativos e que mais interessem seu perfil de viajante. Na hora de contratar, não há mistério, mas algumas dicas ajudam. Conheça algumas regras para ter sucesso ao contratar um guia de turismo em seu passeio.

Gostou das dicas sobre etiqueta para viagens? Compartilhe!

como economizar na limpeza
organizar a mala
esconder gastos
free shop
quanto gastar na europa por dia
Viajar sozinho pelo Brasil