Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda por que morar em Brasília custa caro

A- A+

Morar em Brasília custa caro. Na comparação com o restante do Brasil, o Distrito Federal tem preços elevados em moradia, energia elétrica, transporte público e gasolina, entre outros produtos e serviços do dia a dia.

No ranking do site Expatistan, que registra o custo de vida para expatriados em cidades do mundo inteiro, Brasília ocupa a 154ª posição, em dados relativos a novembro de 2015. No Brasil, fica atrás apenas de Rio de Janeiro-RJ (127), São Paulo-SP (130) e Campinas-SP (148).

Já em estudo do Banco Central, divulgado no ano passado, Brasília situava-se na liderança entre as cidades mais caras do país, com preços 19% maiores do que a média nacional.

Então, se você está pensando em se mudar para a capital federal, é hora de abrir sua planilha financeira e descobrir quanto custa morar em Brasília.

Morar em Brasília custa caro.

Habitação e transporte são os vilões do custo de vida em Brasília. Foto: Denis Simões, Agência Brasília

Principais custos para morar em Brasilia

A capital federal apresentou, no período de 16 de setembro a 15 de outubro, a maior taxa de inflação do país, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), do IBGE. O indicador mede o preço e as tarifas de setores básicos, que ajudam a estimar quanto custa morar em Brasília.

No estudo comparativo do IPCA entre os meses de agosto e setembro, último disponibilizado pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), três majorações de tarifas e preços foram impactantes para o resultado: energia elétrica, gás de cozinha e transporte público. As duas primeiras estão inseridas no setor de habitação e representaram, respectivamente, variação positiva de 19,23% e 11,70% em comparação com o mês anterior.

Em setembro, esse foi o grupo que apresentou maior crescimento, 3,4%. Além dos dois acréscimos já mencionados, o sabão em barra, com +2,54%, também pesou no bolso do consumidor.

Habitação

Ainda no segmento de habitação, Brasília também custa caro para quem procura moradia. A capital federal tem o terceiro metro quadrado mais elevado do país, custando R$ 7.958,00, segundo o índice FipeZap.

De acordo com a economista e assessora do Conselho Regional de Economia do Distrito Federal (Corecon-DF), Marianne Pereira, o gasto com moradia em Brasília, seja pelo imóvel próprio ou alugado, é muito alto e varia entre as regiões. “Um imóvel no Plano Piloto, centro financeiro da capital, é muito elevado e morar em uma quitinete nesta localidade pode ser equivalente ao custo de uma moradia de dois quartos e garagem em outras capitais”, completa.

Uma dica para quem quer economizar é optar por cidades satélites, como Taguatinga, Ceilândia, Águas Claras ou Guará.

Transporte

A segunda maior variação no IPCA/Brasília ocorreu no Grupo “Transportes”, com aumento mensal de 2,70%. Os maiores responsáveis foram a passagem aérea e ônibus urbano com acréscimos de 22,83% e 8,33%, respectivamente.

O economista e assessor econômico da Fecomércio DF, José Eustáquio de Carvalho, lembra também do aumento da tarifa no metrô e das propostas já anunciadas para o ano que vem de elevação do IPVA e do ICMS sobre os combustíveis.

A gasolina, por sinal, já tem um custo por litro mais elevado do que em outros centros econômicos importantes do Brasil, como São Paulo. Segundo o último levantamento de preços da ANP, o preço médio pago por litro nos postos, no Distrito Federal, é de R$ 3,677 contra R$ 3,335 em São Paulo.

Transporte custa caro para morar em Brasília

Elevação da tarifa de ônibus vem impactando no custo de vida em Brasília. Foto: Tânia Rêgo, ABr

Vestuário

Logo na sequência dos setores de habitação e transporte, o vestuário também tem tornado o custo de vida em Brasília mais alto, com variação positiva de 1,97% na comparação entre agosto e setembro. Tecido sofreu maior alta, seguido de calça masculina, vestido infantil, blusa e conjunto infantil, todos na faixa de 3%.

Alimentação

Apesar do ramo de alimentação e bebida apresentar variação negativa de 0,04% no último comparativo do IPCA, o setor acumula alta de 8,11% no ano. Esse nicho, aliás, é o que tem maior peso na estrutura de ponderação do Índice. Entre os alimentos que tiveram maiores variação, estão frutas como laranja e manga, carnes como alcatra e frango, além da maionese.

Fora do supermercado, comer em Brasília é caro, mas não tanto quanto em outras metrópoles brasileiras. O preço médio de uma refeição na capital federal é de R$ 26,40, de acordo com a Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador (Assert). O valor é menor do que a média nacional, de R$ 27,36 por prato.

Você vai se interessar por:

Exemplos de custos ao morar em Brasília

Combo em um fast-food R$ 22
1 kg de tomates no supermercado R$ 5,17
Garrafa de 2 litros de refrigerante R$ 5
500ml de cerveja no bar R$ 8
1 mês de academia R$ 149
Aluguel de apartamento de 85 m² em região cara R$ 3,2 mil
Corrida de 8km no táxi com trânsito R$ 27
Corte de cabelo masculino R$ 30
1 carteira de cigarro R$ 9

* Preços retirados do site Expatistan em 6 de novembro de 2015.

 

E aí, gostou das dicas de preços para quem está pensando em morar em Brasília? Deixe um comentário! E siga acompanhando nossa série sobre Custo de Vida.

Pokémon Go
como lucrar vendendo artesanato
como lucrar vendendo cosméticos
como abrir uma academia de ginástica
como abrir uma pizzaria
como montar uma drograria