Vivo
 
por Vivo Seu Dinheiro

Entenda o reajuste no Bolsa Família e seu impacto

A- A+

Através de decreto do Governo Federal, foi aprovada a aplicação de reajuste no Bolsa Família, o programa social que mais atende famílias no país. Com as novas regras do sistema, mudam as definições das classes socioeconômicas e aumenta o valor do benefício recebido pelas famílias inscritas no programa.

O que muda com o reajuste no Bolsa Família

O governo do presidente em exercício Michel Temer sancionou um decreto que aplica 12,5% de reajuste no Bolsa Família. Isso significa que o valor recebido pelas famílias beneficiadas vai aumentar a partir de 17 de julho. A mudança deve gerar gastos extras de R$2,5 bilhões.

“No Brasil, tem gente rica, de classe média, gente pobre e na extrema pobreza. Enquanto houver extrema pobreza, é preciso ter programas dessa natureza. Mas o objetivo é, num dado momento, ser desnecessário o Bolsa Família, essa é a intenção”, afirmou Temer no anúncio do reajuste.

Na prática, o reajuste no Bolsa Família define que fazem parte do grupo de extrema pobreza as famílias que têm renda mensal de até R$85 por pessoa e não mais R$77, como era antes. Na linha de pobreza agora estão os que recebem até R$170 mensais por pessoa, diferente dos R$154 que eram considerados anteriormente.

Reajuste no Bolsa Família

Novas regras redefinem parâmetros das classes socioeconômicas do programa. Foto: Jefferson Rudy, Agência Senado

Há, ainda, uma mudança nos valores recebidos por cada uma dessas famílias. Com o reajuste do Bolsa Família, os beneficiários que estão em extrema pobreza recebem o valor básico de R$85 mensais. O benefício das famílias pobres compostas por gestantes, nutrizes e crianças de até 15 anos é variável e fica em R$39 e o das que têm jovens de 16 e 17 anos atinge R$ 42.

Você vai se interessar por:

As famílias que recebem o benefício variável podem acumular até 5 benefícios, atingindo o valor de R$195 mensais. O variável jovem, para núcleos familiares com adolescentes de 16 e 17 anos, pode ter acúmulo de 2 benefícios, chegando ao teto de R$ 92. No caso das em extrema pobreza, é possível chegar a R$372, acumulando benefícios básicos e variáveis.

No caso de uma família com renda per capita de até R$85 reais, em que a mãe está grávida ou amamentando, há dois filhos de até 15 anos e dois entre 16 e 17, todos estudando, é possível atingir R$294 reais de benefício. É possível, ainda, conseguir um acréscimo, calculado com base na renda da família e no benefício recebido, que tem o objetivo de ajudar a superar a extrema pobreza.

Seu nome protegido

Se você convive com dificuldades financeiras, precisa conhecer o Vivo Alerta CPF. Entre as suas funções, está o envio de um SMS ao cliente toda vez que ocorrer uma alteração no status do seu nome nas bases de dados da Serasa Experian, toda vez que uma empresa consultar o nome do cliente nessa base de dados e ainda quando o seu nome estiver prestes a ser negativado.

Além disso, o cliente recebe exclusivas dicas antifraude e pode visualizar o relatório completo sobre o seu CPF.

> Vivo Alerta CPF: Receba alertas via SMS sempre que houver consultas a seu CPF

Tirou suas dúvidas sobre o reajuste no Bolsa Família? Compartilhe!

sair da casa dos pais
vale a pena economizar
vale a pena pegar empréstimo
emprestimo urgente para negativado
erros financeiros comuns
como aprender com erros de finanças